35 minutos de exercicio podem proteger as pessoas em risco de depressão | JORNAL DO POVÃO DF

0
28
35 minutos de exercicio podem proteger as pessoas em risco de depressão
35 minutos de exercicio podem proteger as pessoas em risco de depressão

35 minutos de exercicio podem proteger as pessoas em risco de depressão
35 minutos de exercicio podem proteger as pessoas em risco de depressão
35 minutos de exercicio podem proteger as pessoas em risco de depressão
imagem08-11-2019-01-11-54
imagem08-11-2019-01-11-54
tomasz wozniak unsplash
tomasz wozniak unsplash

 

Níveis elevados de atividade física podem reduzir significativamente as chances de depressão, mesmo entre pessoas geneticamente predispostas à doença, de acordo com um novo estudo de pesquisadores de Harvard no Massachusetts General Hospital (MGH).

Em um artigo publicado na revista Depression and Anxiety, a equipe relatou que indivíduos que praticavam pelo menos algumas horas de exercício por semana tinham menos probabilidade de serem diagnosticados com um novo episódio de depressão, mesmo diante do alto risco genético para o transtorno.

Com base nos dados de registros de saúde genômicos e eletrônicos de quase 8.000 participantes do Partners Healthcare Biobank, o novo estudo é o primeiro a mostrar como a atividade física pode influenciar a depressão, apesar do risco genético.

Os pesquisadores acompanharam os pacientes que preencheram uma pesquisa sobre seus hábitos de vida (incluindo atividade física) quando se inscreveram no biobanco. Eles então extraíram milhões de pontos de dados de registros eletrônicos de saúde nos próximos dois anos e identificaram pessoas que receberam diagnósticos relacionados à depressão. Eles também calcularam as pontuações de risco genético para cada participante, combinando informações em todo o genoma em uma única pontuação que refletia o risco herdado de depressão de uma pessoa.

Eles descobriram que as pessoas com maior risco genético eram mais propensas a serem diagnosticadas com depressão nos próximos dois anos. Significativamente, porém, as pessoas que eram mais fisicamente ativas na linha de base tinham menos probabilidade de desenvolver depressão, mesmo depois de contabilizar o risco genético. Além disso, níveis mais altos de atividade física protegiam as pessoas, mesmo com as maiores pontuações de risco genético para depressão.

“Nossas descobertas sugerem fortemente que, quando se trata de depressão, os genes não são o destino e que ser fisicamente ativo tem o potencial de neutralizar o risco adicional de futuros episódios em indivíduos geneticamente vulneráveis”, disse Karmel Choi, do MGH e Harvard T.H. Chan School of Public Health, principal autor do estudo. “Em média, cerca de 35 minutos adicionais de atividade física por dia podem ajudar as pessoas a reduzir seus riscos e proteger contra futuros episódios de depressão”.

“Nossas descobertas sugerem fortemente que, quando se trata de depressão, os genes não são o destino e que ser fisicamente ativo tem o potencial de neutralizar o risco adicional de futuros episódios em indivíduos geneticamente vulneráveis”. – Karmel Choi

Os pesquisadores descobriram que as formas de atividade de alta intensidade, como exercícios aeróbicos, dança e máquinas de exercícios, e as formas de menor intensidade, incluindo ioga e alongamento, estavam ligadas à diminuição das chances de depressão. No geral, os indivíduos podem ter uma redução de 17% nas chances de um novo episódio de depressão para cada bloco de quatro horas de atividade por semana.

A depressão representa a principal causa de incapacidade em todo o mundo. Apesar de sua enorme carga de saúde, as estratégias para combater a depressão permanecem limitadas e o entendimento do público sobre fatores de proteção robustos e modificáveis é incompleto. “Fornecemos evidências promissoras que os prestadores de cuidados primários e de saúde mental podem usar para aconselhar e fazer recomendações aos pacientes de que aqui há algo significativo que eles podem fazer para reduzir seu risco, mesmo que tenham um histórico familiar de depressão”, diz Choi.

O autor sênior Jordan Smoller acrescentou: “Em geral, nosso campo carece de maneiras acionáveis de prevenir a depressão e outras condições de saúde mental. Acho que esta pesquisa mostra o valor dos dados e da genômica do setor de saúde do mundo real para fornecer respostas que podem nos ajudar a reduzir o fardo dessas doenças. ”

Além da atividade física, a equipe do MGH continua a alavancar o Partners Biobank e outros estudos em larga escala para explorar maneiras modificáveis para os indivíduos reduzirem o risco de depressão. “Acreditamos que pode haver muitos fatores que poderiam fazer parte de uma estratégia geral para melhorar a resiliência e prevenir a depressão”, enfatizou Choi. “A magnitude da depressão em todo o mundo ressalta a necessidade de estratégias eficazes que possam impactar o maior número possível de pessoas”.

Choi é pesquisador clínico e de pesquisa no Massachusetts General Hospital e no Harvard T.H. Escola de Saúde Pública Chan. Smoller é chefe associado de pesquisa no Departamento de Psiquiatria da MGH e professor de psiquiatria na Harvard Medical School.

Fonte: The Harvard Gazette

Conteúdo Bloqueado

Ajude-nos a crescer! Compartilhe esta matéria com seus amigos no Facebook clicando no botão abaixo para desbloquear o conteúdo automaticamente. Compartilhar é grátis!

Clicando no botões você concorda com os termos de uso e política de privacidade

Fonte: jornaldopovaodf.com.br/destaques/35-minutos-de-exercicio-podem-proteger-as-pessoas-em-risco-de-depressao