ANÚNCIO

A iniciativa de boicote que o pastor Silas Malafaia promoveu contra a Disney em 2017, por conta da exibição de um beijo gay em um desenho infantil. Em resposta, um youtuber chamado Romagaga publicou um vídeo queimando a foto do líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC).

ANÚNCIO

Na ocasião, a Disney havia veiculado um episódio do desenho Star vs. As Forças do Mal, voltado para o público infantil, com uma cena de beijo gay. Malafaia iniciou uma campanha de boicote alertando para a erotização infantil.

“Um alerta às famílias e aos pais: lamentavelmente a Disney resolveu comprar a agenda gay, colocando em desenhos e filmes, para crianças, a questão do homossexualismo. Não tem coisa mais asquerosa, nojenta, do que erotizar crianças”, afirmou, acrescentando que o contexto psicológico da infância leva a criança a não saber “discernir o que é ordenança, informação e sugestão”, e que por isso, “é uma covardia pular etapas no desenvolvimento do ser humano”.

O transexual que produz o canal Romagaga se referiu ao pastor como um “falso profeta” que estaria incitando a violência contra LGBTs: “Conheci muitos evangélicos bons que respeitam as pessoas. Embora não concordem, mas não saem disseminando ódio, não sai dizendo ‘vamo matar (sic)’ […] Quem é você, Malafaia, para disseminar ódio? Todo dia está no Twitter falando m…, ninguém está aguentando mais”, disparou.

ANÚNCIO

À época, Malafaia já havia entrado em atrito com outro youtuber, Felipe Neto, que afirmou que faria publicidade para todas as empresas que fizessem anúncios irritando o pastor, numa iniciativa que tinha como objetivo combater sua influência entre os evangélicos.

ANÚNCIO

“Para acabar de vez com essa sua palhaçada, eu vou fazer o seguinte: a partir de hoje, todas as empresas que Silas Malafaia promover boicote usando seus fiéis, eu vou fazer campanha de graça. É exatamente isso. Empresas de todo o Brasil, quer (sic) ganhar publicidade gratuita no meu canal? Irrite Silas Malafaia. Se você fizer que ele organize um boicote à sua marca, eu farei campanha gratuita”, disse Felipe Neto à época.

Por conta da repercussão de sua iniciativa de boicote, Malafaia avisou que processaria todas as pessoas com influência nas redes sociais que o difamassem. Um dos processados foi o próprio Felipe Neto, que fechou acordo para se retratar das acusações de enriquecimento através de desvios de dízimos e ofertas dos fiéis.

Agora, a notícia sobre o processo contra Romagaga foi veiculada pelo jornalista Ancelmo Góis, no jornal O Globo: “Silas Malafaia, o pastor evangélico que se negou a fechar seu comércio, ou melhor sua igreja, ingressou com ação contra um canal no YouTube chamado ‘Romagaga’, com mais de 330 mil inscritos. Quer indenização e a retirada de um vídeo postado em 2017, porque o youtuber criticou o pastor, que teria insinuado que a Disney tenta ‘erotizar crianças com homossexualismo’. O caso corre na 7ª Vara Cível de São Paulo”.

ANÚNCIO