ANÚNCIO

A polêmica reportagem com transexuais presos exibida pelo Fantástico, da Rede Globo, no último dia 01 de março, abriu um debate acalorado na internet, mas com a maioria dos internautas expressando revolta contra o detento Rafael Tadeu de Oliveira dos Santos, mais conhecido como “Susy”.

ANÚNCIO

Na reportagem feita pelo médico Drauzio Varella, a história de Susy na prisão foi retratada de modo dramático, destacando-se o período de quase oito anos em que o mesmo não recebe visitas. Diante disso, a iniciativa do apresentador de abraçar o transexual comoveu milhares de pessoas, que viram nisso um gesto de solidariedade.

O que a reportagem do Fantástico não revelou, no entanto, foi o motivo pelo qual Susy foi preso, mas uma matéria publicada pelo site MBL News tratou de expor o lado macabro por trás da história contada de forma romantizada pela Rede Globo.

Estupro e assassinato de menor

O processo judicial da transexual Susy revela que Rafael (seu nome de batismo) “praticou atos libidinosos consistentes em sexo oral e sexo anal com o menor Fábio dos Santos Lemos, que à época contava com apenas 09 anos de idade”.

ANÚNCIO

O crime ocorreu em uma segunda-feira do mês de maio de 2010, na Rua Santa Catarina, nº 34, no bairro União de Vila Nova. Após o estupro do menor, Susy estrangulou a criança até à morte. O corpo do menino permaneceu na residência por dois dias, até estar em estado de decomposição, quando só então Susy o pegou e o colocou na frente da casa dos pais da criança.

ANÚNCIO

Susy é acusada de outros abusos

A tia de Susy, Carlita Teixeira dos Santos, comentou sobre o histórico problemático do transexual, alegando que ele teria praticado outros crimes no passado, incluindo o abuso sexual contra uma criança de apenas três anos.

“Ele roubava, mentia, não ia para a escola, até doze anos coisas de criança, mas depois dos doze começou a roubar com arma, usava maconha. (…) Fiquei sabendo que ele trabalhava na padaria e foi acusado de estar abusando de uma criança de três anos e os parentes da criança foram na minha casa atrás dele, querendo matar ele”, disse ela, segundo o MBL.

Reação da internet

Com a revelação do crime brutal praticado por Susy, a reação da população que antes foi de compaixão por sua história de solidão se converteu em revolta, pois para muitos a Rede Globo não tratou com honestidade o caso, deixando de mostrar o que estaria por trás da sua punição.

ANÚNCIO

A deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) criticou a reportagem da Globo, cobrando uma retratação para com os familiares do menino assassinado por Susy.

ANÚNCIO

“Imagino a dor da família da vítima, ao sofrer uma segunda injustiça! A pessoa algoz retratada como a vítima da história! Francamente! Solidariedade a esta família duplamente agredida! O discurso hipócrita, que domina os meios de comunicação, só torna mais difícil a vida das pessoas que apenas bradam por igualdade, respeitando os demais”, escreveu a parlamentar em suas redes sociais.

O médico Drauzio Varella afirmou que não é “juiz”, mas sim médico, argumentando que não realizou a reportagem para julgar o crime de Susy.

“Há mais de 30 anos, frequento presídios, onde trato da saúde de detentos e detentas. Em todos os lugares em que pratico a medicina, seja no meio consultório ou nas penitenciárias, não pergunto sobre o que meus pacientes possam ter feito de errado”, disse o médico em nota, segundo o Correio Braziliense.

ANÚNCIO

“No meu trabalho na televisão, sigo os mesmos princípios. No caso da reportagem, veiculada pelo Fantástico na semana passada (1º/3), não perguntei nada a respeito dos delitos cometidos pelas entrevistadas. Sou médico, não juiz”, completa a nota.

ANÚNCIO

“Terminem no inferno”

Para o ministro da Educação, no entanto, o médico e a Rede Globo erraram ao desprezar o sofrimento dos familiares da criança assassinada por Susy, uma vez que a reportagem exibida em rede nacional deixou de prestar qualquer solidariedade à vítima, fazendo parecer que a solidão do transexual seria devido à sua condição sexual, e não por causa do seu histórico de barbaridades.

“Não é juiz? Não é gente?! Você e marinho [referência aos proprietários da Rede Globo] NÃO conseguem pedir desculpas! NÃO têm empatia ou compaixão com as crianças e famílias vítimas desse pedófilo! Continuem defendendo esse estuprador assassino, vocês se merecem. Antes que eu esqueça: desejo que vocês terminem no inferno!”, escreveu Abraham Weintraub.

Não é juiz? Não é gente?!Você e marinho NÃO conseguem pedir desculpas!NÃO têm empatia ou compaixão com as crianças e famílias vítimas desse pedófilo!Continuem defendendo esse estuprador assassino, vocês se merecem.Antes que eu esqueça: desejo que vocês terminem no inferno! pic.twitter.com/Sd5preihIe

— Abraham Weintraub (@AbrahamWeint) March 9, 2020

Assine o Canal
Assine o Canal

Fonte: noticias.gospelmais.com.br/susy-trans-estuprou-crianca-abracada-drauzio-revolta-131224.html