A Receita Federal deverá informar se existem dados sobre transações com Bitcoins em nome da G44 Brasil. De acordo com uma decisão do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), sete clientes com saques em atraso procuram por criptomoedas da empresa para quitar a dívida.

A decisão da Justiça determinou a expedição de um ofício para a Receita Federal sobre movimentações com o Bitcoin relacionadas a G44 Brasil. Com saques em atraso desde novembro de 2020, a plataforma prometia lucro com investimentos de até 200%.

Além de informações sobre um possível saldo em Bitcoin, a Justiça procura dados sobre wallets e endereços eletrônicos utilizados pela empresa investigada como “pirâmide financeira”.

Além de criptomoedas, o processo judicial contra a G44 Brasil determina o arresto de um imóvel em Brasília – DF que pode valer até R$ 2,5 milhões. Bens da empresa podem servir para pagar os clientes com saques em atraso no negócio de investimentos em esmeraldas e Bitcoin.

Bitcoin da G44 Brasil

A G44 Brasil é uma empresa que negociava cotas de investimentos em esmeraldas com os usuários. Com planos que prometiam lucro de até 200%, a plataforma pode ter movimentado mais de R$ 1 bilhão.

Além de investimentos em uma mina de esmeraldas em Goiás, a G44 Brasil operava com criptomoedas como o Bitcoin. Em busca de reaver o dinheiro investido no negócio, um grupo de sete clientes decidiu solicitar à Justiça informações sobre a Receita Federal.

imagem18-07-2020-08-07-40
imagem18-07-2020-08-07-40
Receita Federal informará sobre transações de Bitcoin da G44 Brasil (Reprodução)

O órgão possui dados parciais de investimentos em criptomoedas através de exchanges no Brasil. Com essas informações, Bitcoins em nome da G44 Brasil podem ser utilizados para quitar a dívida com os sete investidores que movem a ação.

“Defiro parcialmente a tutela de urgência para determinar a expedição de ofício à Receita Federal para esclarecer se consta, em sua base de dados, informações sobre operações com criptoativos realizadas pelos réus.”

Imóvel e carro de luxo bloqueado pela Justiça

O grupo de sete investidores de Brasília – DF investiu R$ 168.000 na G44 Brasil. Sem receber desde o final de novembro de 2019, os clientes da empresa solicitaram à Justiça o bloqueio de bens como Bitcoin.

Além de criptomoedas um imóvel milionário pode ser arrestado para quitar a dívida com clientes da empresa. Conforme noticiou o Cointelegraph, o imóvel pode valer R$ 2,5 milhões e já foi bloqueado posteriormente em outra decisão judicial em desfavor a G44 Brasil.

“O arresto do imóvel indicado na petição inicial, mediante expedição de ofício ao Cartório do 4º Ofício de Registro de Imóveis do Distrito Federal.”

Veículos em nome da plataforma de investimentos também devem ser arrestados, de acordo com o processo. A medida aprovada em caráter de urgência sobre a G44 Brasil serve para garantir o pagamento da dívida com os investidores.

Após os atrasos com pagamentos aos usuários no final de novembro de 2019, a G44 Brasil pediu um prazo de 90 dias para a retomada dos saques. Porém, o prazo terminou no primeiro trimestre de 2020 e até então os clientes não receberam da empresa.

Recentemente a G44 Brasil apresentou um plano de pagamentos para os investidores com saques pendentes. Segundo a plataforma, os usuários receberão em até 40 prestações o dinheiro investido na G44 Brasil.

Leia Mais:

Fonte: cointelegraph.com.br/news/receita-federal-will-inform-if-g44-brazil-has-bitcoins-on-exchanges

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here