Com saques em Bitcoin em atraso desde agosto de 2019, a Atlas Quantum foi denunciada na esfera federal. De acordo com o Portal do Bitcoin, uma denúncia contra a empresa foi apresentada para a Polícia Federal através do delegado André Junji Ikari.

Segundo o delegado, a atividade da Atlas Quantum pode ser configurada como um “crime contra o sistema financeiro nacional”. A denúncia contra a empresa de arbitragem em Bitcoin foi encaminhada à Polícia Federal recentemente.

Além de apontar os crimes federais que a empresa pode ter cometido, a denúncia compara a atuação da Atlas Quantum no mercado com a plataforma Indeal. A comparação entre as duas empresas foi utilizada para justificar a apuração da atividade da Atlas Quantum na esfera federal.

Polícia Federal pode investigar Atlas Quantum

A denúncia contra a Atlas Quantum foi apresentada a Polícia Federal mediante um relatório sobre a atividade da empresa de arbitragem em Bitcoin. Inicialmente, a investigação sobre o caso foi apresentada ao Ministério Público de São Paulo.

Com saques pendentes há quase um ano, a Atlas Quantum não paga os clientes que investiram Bitcoin em busca de lucro com operações de arbitragem. Segundo o relatório do delegado André Junji Ikari, a atuação do negócio deve ser analisada pela “Justiça Federal”.

O caso da empresa Indeal foi utilizado no inquérito da Atlas Quantum para ilustrar a necessidade da empresa ser investigada na esfera federal. A Indeal teve suas operações encerradas com a Operação Egyptoque prendeu líderes do negócio em 2019.

O delegado fala sobre uma decisão de um habeas corpus apresentado por líderes da Indeal ao Supremo Tribunal de Justiça (STJ). A decisão afirma que questões relacionadas ao negócio deveriam ser julgadas pela Justiça Federal.

Assim sendo, o mesmo deveria ser aplicado para a investigação contra a Atlas Quantum. O inquérito enviado pelo delegado sobre a empresa foi encaminhado à Polícia Federal.

“Remessa à Vara Criminal Federal competente, bem como à respectiva Delegacia de Polícia Federal com atribuição para investigação dos fatos.”

Denúncia de cliente contra empresa de arbitragem em Bitcoin

A Atlas Quantum pode ser investigada pela Polícia Federal após um inquérito ser enviado pelo delegado André Junji Ikari. A denúncia contra a empresa foi apresentada por um investidor com saque de Bitcoin em atraso.

O cliente do advogado criminalista Rafael Salles apresentou ao Ministério Público do Estado de São Paulo uma denúncia contra a plataforma. Sendo assim, através dessa denúncia um inquérito foi apresentado a 4ª Delegacia de Polícia de Investigações sobre Fraudes Patrimoniais Praticadas por Meios Eletrônicos do Estado de São Paulo.

Porém, as investigações contra a Atlas Quantum demonstraram que a empresa pode ter cometido crimes federais. O que fez o inquérito ser remetido para a Polícia Federal.

Conforme noticiou o Cointelegraph, outra denúncia envolvendo a Atlas Quantum acusa a empresa de “organização criminosa”. O advogado Rafael Salles afirma que a plataforma de Bitcoin pode responder por crimes como “evasão de divisas”.

“A criptomoeda é considerada como valor mobiliário na visão do Superior Tribunal de Justiça. Com base nessa jurisprudência, entendemos que os criptoativos remetidos para paraísos fiscais sem que se tenha dado prévio aviso à autoridade brasileira competente, consubstancia o delito de evasão de divisas.”

Leia Mais:

Fonte: cointelegraph.com.br/news/atlas-quantum-is-reported-to-the-federal-police

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here