Bíblia sobre a bandeira da China. (Foto: Reprodução)

CHINA – A China marcou 70 pontos na Lista Mundial da Perseguição (LMP) 2020, subindo para a posição 23, enquanto no ano anterior estava em 27° lugar, com 65 pontos. A pontuação de violência permaneceu praticamente inalterada já que a China marcou o máximo para prédios de igreja confiscados e destruídos.

Os pontos para pressão nas esferas aumentaram na vida privada e comunidade, refletindo uma ênfase muito mais forte na ideologia comunista e que cidadãos são usados e pagos para fornecer informações sobre cristãos e outras minorias.

A ênfase na ideologia e na ampla meta de preservar as regras do Partido Comunista reflete no contínuo crescimento da pontuação nas esferas da nação e igreja, onde é visível o reflexo da implementação muito rígida da regulamentação religiosa, que começou em 1 de fevereiro de 2018. Cristãos estão testemunhando muito mais problemas com as autoridades e essa pressão é sentida especialmente na esfera da igreja.

A pontuação média para pressão aos cristãos na China subiu de 11 para 11,9. As pontuações para pressão subiram em todas as esferas da vida, mostrando que a implementação das novas regulamentações na religião se estendeu sobre todas as províncias agora e são implementadas de acordo com a vontade do Partido Comunista, que é o principal implementador, não o governo.

O ambiente legal e administrativo se tornaram mais difíceis, não apenas pelas chamadas igrejas domésticas, mas também por igrejas que pertencem ao Movimento Patriótico das Três Autonomias. A pressão para entrar na linha da ideologia prevalecente de louvar as conquistas do Partido Comunista tem se tornado muito mais forte e representa, sem dúvidas, um dos maiores riscos para cristãos, a longo prazo.

A pressão é mais forte na igreja e nação, com pontuações de 15,1 e 12,8, respectivamente. Enquanto a pressão nessas esferas é típica para países onde a opressão comunista e pós-comunista é ativa, a pressão na vida privada aponta principalmente para os problemas que cristãos ex-muçulmanos e ex-budistas enfrentam.

A pressão da opressão islâmica e do nacionalismo religioso é presente não apenas na vida privada, mas também na família e comunidade. Mas o aumento da pressão resultante da opressão comunista e pós-comunista pode ser sentida nessas esferas, por exemplo, em questões relacionadas à educação ou empregos, quando cristãos são professores ou médicos.

O aumento na nação é devido ao aumento na pressão causado pelo ensinamento de seguidores da ideologia do Partido Comunista.

A pontuação para violência contra cristãos permanece quase inalterada, subindo apenas 0,2 pontos. Embora mais igrejas tenham sido fechadas pelo país, entre elas algumas igrejas de visibilidade muito alta, a China mais uma vez cruzou o limite para a pontuação máxima de igrejas sendo fechadas. Esse tem sido o caso há muitos anos.

Não há mortes relatadas, mas um número crescente de cristãos continua sendo preso ou detido, algumas vezes com objetivo educacional.

As autoridades, e em particular o Partido Comunista, não parecem se preocupar muito sobre as manchetes internacionais ruins. Pelo contrário, o Partido está tentando promover sua própria narrativa referente aos “campos de treinamento vocacional”.

Fonte: Portas Abertas

 

Fonte: exibirgospel.com.br/2020/08/06/a-perseguicao-aos-cristaos-na-china/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=a-perseguicao-aos-cristaos-na-china

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here