Embora a reciclagem possa parecer um conceito relativamente simples, a cadeia de abastecimento da reciclagem de plásticos prova o contrário. Desde a compreensão de quais plásticos são reciclados até a determinação da qualidade desses plásticos, esses problemas e outros estão resultando em taxas de participação na reciclagem mais baixas.

As estatísticas mostram que até 2024, o mercado global de reciclagem deve atingir US$ 377 bilhões. No entanto, a gestão de resíduos de plástico tornou-se um problema que afeta severamente o meio ambiente. Por exemplo, as Nações Unidas estimam que cerca de 300 milhões de toneladas de resíduos plásticos são produzidos globalmente a cada ano. Infelizmente, apenas 9% disso é reciclado. Os resultados da ONU mostram ainda que cerca de 12% dos resíduos são transformados em cinzas, enquanto os 79% restantes se acumulam em aterros, lixões ou no ambiente natural.

Stan Chen, CEO da plataforma de reciclagem RecycleGo, disse ao Cointelegraph que o negócio de reciclagem está “atormentado por ineficiências, uma série de partes interessadas e falta de dados digitais”. Além disso, ele acredita que o que impede o crescimento da indústria é “a necessidade de maior visibilidade da cadeia de suprimentos para uma melhor tomada de decisão”.

Embora esteja claro que os sistemas de reciclagem são insuficientes, Chen observou que muito disso decorre da noção de que não há educação do consumidor ou incentivos suficientes para que os cidadãos e as empresas reciclem. Sobre o aumento da transparência na cadeia de abastecimento de reciclagem, ele também observou:

“Quanto mais visibilidade você tiver em qualquer tipo de cadeia de suprimentos, mais você será capaz de se envolver no planejamento de recursos da empresa, incluindo preços, decisões de compra e gerenciamento de estoque, o que tem um impacto direto na proteção de suas margens e, em última análise, na criação de valor como um todo.”

Blockchain preenche a lacuna da embalagem

O gerente de comunicações do Blockchain Research Institute, Noah Lehman, foi coautor de um relatório compartilhado com o Cointelegraph intitulado “Transforming Plastic Pollution Using Blockchain.” O documento declara como a tecnologia blockchain pode apoiar um negócio de plásticos mais justo e sustentável, fazendo a ponte entre os itens de embalagem e as partes que os usam. Além disso, Lehman explicou que a blockchain permite que as partes compartilhem informações com segurança, sem intermediários.

Com isso em mente, a RecycleGo – que, de acordo com Chen, é responsável pelo manuseio de um milhão de libras em recicláveis ​​por mês – fez parceria com a empresa de tecnologia corporativa DeepDive Technology Group para alavancar a blockchain para a transparência da cadeia de suprimentos.

Embora ainda em desenvolvimento, Chen explicou que a primeira fase do projeto permitirá que os participantes da cadeia de suprimentos identifiquem toda a história de uma garrafa de plástico específica. Ele lembrou que os colaboradores poderão determinar quando uma garrafa de plástico foi criada, coletada, convertida de volta à sua forma de matéria-prima e finalmente enviada de volta ao fabricante para fazer outra garrafa de plástico.

O CEO da DeepDive, Misha Hanin, disse ao Cointelegraph que os dados gerados na indústria de reciclagem de plásticos são extremamente fragmentados, frequentemente incompletos e de difícil acesso. Por sua vez, a blockchain oferece uma ótima solução para compartilhar dados seguros de maneira eficiente entre diferentes partes, sem intermediários.

Hanin mencionou que o produto blockchain que a RecycleGo potencializa é movido pela estrutura de código aberto, Hyperledger Fabric. Uma combinação de sensores IoT e códigos QR também será usada para coletar dados do ponto de fabricação. Todos os dados serão carregados e registrados no livro razão da blockchain. Hanin disse:

“Coletamos tudo o que tem valor desde o ponto de fabricação. Por exemplo, a geolocalização da garrafa. O que quer que estejamos fazendo para capturar quaisquer dados, sejam imediatamente relevantes ou não, é colocado na blockchain como documentação irrefutável que não pode ser editada.”

Uma vez que os dados são coletados e registrados na blockchain, todos os participantes com acesso permitido podem visualizar essas informações por meio de um portal da web, acesso à API ou de outras maneiras. “No momento, estamos discutindo com algumas das maiores marcas domésticas internacionais do mundo sobre a melhor maneira de fazer isso”, disse Hanin. Ele observou ainda que a RecyleGo está testando seu produto blockchain, que está aberto a uma série de participantes:

“Estamos construindo esta blockchain não apenas para a RecycleGO, mas para todos que desejam fazer parte desta rede. Nossa meta é aumentar as taxas de reciclagem de cerca de 8% a 100% daqui para frente. ”

Além disso, Chen prevê que aqueles que participam da primeira fase do teste de blockchain da RecycleGo devem esperar uma redução de custos de 15% a 20% com as otimizações da cadeia de suprimentos.

Incentivos emitidos por meio de tokens digitais

Além de fornecer transparência à cadeia de suprimentos, a blockchain pode ajudar a incentivar empresas e consumidores a reciclar plásticos de maneira adequada. Por exemplo, o Cointelegraph relatou anteriormente sobre uma startup chamada Plastic Bank, que possui vários centros de reciclagem localizados em comunidades costeiras carentes, como na Indonésia e no Brasil.

Uma das maneiras pelas quais a Plastic Bank garante uma economia circular é fornecendo incentivos por meio de tokens digitais. Por exemplo, quando empresas de reciclagem trazem plástico para um dos centros da Plastic Bank, os tokens digitais são emitidos por meio de contratos inteligentes em dispositivos móveis. Cada transação que ocorre é então registrada na plataforma blockchain de código aberto Hyperledger Fabric. O Plastic Bank então vende seu “plástico social” reciclado para fabricantes de bens de consumo.

A Tech Lab também está usando blockchain para controlar a gestão de resíduos, criando uma economia circular. A empresa com sede na Holanda está executando uma versão demo de seu sistema de gerenciamento de resíduos na blockchain pública Ethereum. Por meio de um aplicativo móvel, os participantes podem registrar quando levam os resíduos para os centros de reciclagem. Os tokens digitais são então emitidos como recompensas que podem ser trocadas por serviços públicos. 

A indústria de reciclagem aceitará a blockchain?

Embora a blockchain possa fornecer uma maneira possível de transformar a indústria de reciclagem, a adoção pode ser um desafio. De acordo com Chen, da RecycleGo, como acontece com qualquer tecnologia, haverá adotantes iniciais, mas a indústria de reciclagem geralmente se enquadra na categoria de adotantes tardios. No entanto, ele apontou que, se as empresas de reciclagem puderem gerar receita com a aplicação da blockchain sem uma curva de aprendizado muito grande, elas acabarão por querer usar a tecnologia.

Chen observou ainda que a RecycleGO está formando parcerias com marcas domésticas internacionais, muitas das quais se comprometeram publicamente a atingir 25% de conteúdo reciclado até 2025, acrescentando: “Há um mercado que quer mais material reciclado, mas atualmente não temos conteúdo suficiente para apoiá-lo; os consumidores simplesmente não reciclam o suficiente.”

Lehman observou ainda que, embora uma série de projetos baseados em blockchain tenham surgido no espaço de reciclagem, “esses projetos precisam de um catalizador de mudança com alcance global e influência para realmente levar as coisas adiante”. Lehman explicou que a comunidade blockchain pode ajudar a apoiar essa mudança por meio de casos de uso inovadores e infraestrutura financeira para apoiar a colaboração digital no setor de resíduos.

Leia mais:

Fonte: cointelegraph.com.br/news/out-with-the-old-blockchain-to-bring-transparency-to-recycling-sector

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here