imagem17-08-2020-19-08-42
imagem17-08-2020-19-08-42
O lançamento do Ciclo da Paz foi feito em parceria com o “Programa Vias de Fé”, que é um trajeto ciclístico por atrativos religiosos de diversas matrizes, e que começou na Ermida Dom Bosco, no Lago Sul. Foto: Divulgação / Secretaria de Turismo

Além da arquitetura mundialmente reconhecida e a natureza exuberante, um dos motivos de Brasília atrair moradores e visitantes de todos os lugares é o misticismo. A cidade possui sedes das mais diferentes manifestações religiosas e místicas e acolhe a todos, independente da fé de cada um. Agora, com o Ciclo da Paz, quem quiser conhecer esses locais tão representativos da capital federal, pode organizar o seu passeio pela rota oferecida do site da Secretaria de Turismo do Distrito Federal  (Setur), também disponível na plataforma Google Maps.  Serão quatro rotas e a primeira já está disponível

O lançamento do Ciclo da Paz foi realizado em parceria com o “Programa Vias de Fé”, que é um trajeto ciclístico por atrativos religiosos de diversas matrizes. Foi feito um passeio ciclístico que teve inicio na Ermida Dom Bosco com uma oração guiada pelo padre Jonathan Costa. Depois os ciclistas seguiram para a Casa Espírita Recanto de Maria (Rema), onde os participantes puderam conhecer sobre suas histórias e trabalhos desenvolvidos no local.

Do Rema os participantes seguiram para a Escola de Sabedoria GDM, que oferece cursos de autoconhecimento. Lá, participaram de um coffee break e conheceram a metodologia usada pela escola. Para a secretária de Turismo, Vanessa Mendonça,  que esteve à frente do passeio ciclístico que marcou o lançamento do  Ciclo de Paz, o objetivo do projeto  é unir todas as crenças por meio de um roteiro turístico. “Desta forma permitimos e incentivamos a valorização dos nossos templos sob a ótica do patrimônio cultural e a experiência da fé em todas as suas manifestações”, disse.

Vanessa Mendonça, secretária de Turismo

Templos

O Templo Shin  Budista Terra Pura é dos locais que estão na rota organizada pela Setur.  Para o Monge Sato, responsável pelo local, o mais importante é que o projeto aproxima as crenças. “Nos sentimos honrados em nos unir à Catedral Metropolitana de Brasília, à Mesquita do Templo Islâmico, à Prainha dos Orixás, ao Santuário Dom Bosco e a outros tantos pontos importantes da região”, destaca. “O Ciclo da Paz vem em momento oportuno para nos lembrarmos da interdependência, interreligiosidade e interculturalidade e da união necessária para enfrentarmos momentos difíceis”, explicou.

O  Santuário Dom Bosco também está rota.  A igreja foi projetada pelo arquiteto Carlos Alberto Naves e é especialmente famosa por seus vitrais, recebendo milhares de turistas por ano.  Na avaliação do  reitor do templo, padre Jonathan Costa, incentivar o turismo religioso é importante para o desenvolvimento da cidade. “Por meio do turismo também podemos evangelizar”, disse.  “Brasília é um patrimônio cultural, mas também tem seu lado místico que é muito forte. É uma  cidade sonhada e profetizada e , por isso, não podemos vê-la apenas com o olhar arquitetônico, mas, também, com o olhar da fé”, acrescentou.  

O pastor Fernando Pereira Mourão, da Igreja Universal do Reino de Deus, participou da abertura do evento. Ele destaca a relevância do projeto. “Temos que pensar na igreja como uma pirâmide que aponta para o universo que foi criado por Deus, independente da crença. Cada religião tem sua crença e nós, da Igreja Universal, estamos de portas abertas para apoiar o projeto e receber seja quem for, independente de religião”, destacou.

*Com informações da Secretaria de Turismo

Fonte: www.agenciabrasilia.df.gov.br/2020/08/17/projeto-ciclo-da-paz-aproxima-crencas-por-meio-do-turismo

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here