ANÚNCIO

A pandemia do novo coronavírus permanece sendo combatida ao redor do mundo, e enquanto isso diversas atividades sociais já foram retomadas, ainda que gradualmente, mas uma coisa parece ficar notável: a dificuldade para a reabertura das igrejas!

ANÚNCIO

Para que o leitor tenha uma ideia, por exemplo, o pastor americano John MacArthur, um dos nomes mais influentes da literatura cristã, precisou entrar na Justiça para conseguir o direito de reabrir a sua denominação.

Felizmente, o tribunal superior da Califórnia decidiu a favor do pastor e a Grace Community Church em 14 de agosto de 2020, concedendo à comunidade nada mais do que o direito já garantido pela Constituição Americana de liberdade religiosa.

Discriminação?

O vencedor do Troféu Heisman e ex-atleta da Liga de Futebol Americano, Herschel Walker, se manifestou sobre o assunto, apontando que a dificuldade de reabertura das igrejas pode ser fruto de discriminação por parte de alguns governantes.

ANÚNCIO

Ele lembrou que diversas atividades, como protestos nas ruas, foram vistas com bons olhos pela mídia, enquanto a simples reunião de pessoas para cultuar a Deus foi duramente reprimida, segundo o Christian Post.

ANÚNCIO

“Continuamos ouvindo a importância da liberdade de expressão, mas não vamos esquecer que temos a liberdade religiosa. Nunca desistam do nosso direito de adorar! Se é permitido protestar nas ruas, podemos voltar à Igreja!”, afirmou o ex-jogador em sua rede social.

O ex-jogador fez inúmeros questionamentos, destacando que a reunião de culto a Deus não se difere de outras atividades onde há a presença de várias pessoas, como a gravação de um programa televisivo, por exemplo.

“As pessoas estão protestando”, disse Walker. “Você sabe, pacífico ou não pacífico. Mas também vi que temos liberdade de religião. Por que não vamos à igreja? Por que não estamos lutando para ir à igreja? Você sabe, podemos fazer uma ‘igreja pacífica’ do lado de fora. Pense nisso”, afirmou.

ANÚNCIO

Fonte: noticias.gospelmais.com.br/ex-jogador-questiona-fechamento-de-igrejas-nao-desistam-do-direito-de-adorar.html

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here