A Binance ajudou a polícia ucraniana a prender uma quadrilha que movimentou cerca de R$ 230 milhões em uma fraude envolvendo o Bitcoin. Os criminosos atuavam com ataques de ransomware na internet e utilizavam criptomoedas para a lavagem de dinheiro.

Com atuação por dois anos, o esquema com Bitcoin chegou ao fim no início de 2020. De acordo com a Binance, o projeto de combate a “Corretoras à prova de balas” permitiu que a exchange realizasse uma investigação sobre a quadrilha.

No entanto, em busca de oferecer mais segurança para os usuários, a Binance possui um sistema de hospedagem à prova de balas (Bulletproof Hosting). Esse sistema permite identificar e analisar dados que podem ter relação com fraudes financeiras em “corretoras à prova de balas”.

Dessa forma, a exchange que atua também no Brasil funciona através de mecanismos de segurança com identificação de usuários (KYC) e contra a lavagem de dinheiro (AML).

Binance ajuda a acabar com lavagem de dinheiro

A exchange Binance atua no combate a lavagem de dinheiro através da análise de informações por mecanismos capazes de identificar fraudes na plataforma. Sendo assim, é possível descobrir movimentações suspeitas como é o caso da quadrilha que movimentou cerca de R$ 230 milhões em criptomoedas.

De acordo com a corretora de criptomoedas, a análise de dados para o combate a lavagem de dinheiro acontece através de uma equipe de Security Data Science. Com um sistema antifraude, a Binance utiliza informações sobre golpes para aprimorar tecnologias voltadas ao combate de crimes envolvendo o Bitcoin.

“Atualmente, estamos aplicando técnicas de engenharia de recursos para identificar padrões suspeitos associados a atividades ilícitas. Esses sinais são então arquivados e servem de base para os modelos de detecção em desenvolvimento, auxiliando nossas investigações.”

“Corretoras à prova de balas” são sediadas em países com pouca regulação e podem oferecer ligações com golpes e fraudes envolvendo criptomoedas. Desse modo, criminosos utilizam tais plataformas para a lavagem de dinheiro.

“Uma das tarefas da equipe de Security Data Science é identificar transações entre a Binance e entidades de alto risco, incluindo o que chamamos de “corretoras à prova de balas” (Bulletproof Exchangers). Essas plataformas de criptomoedas geralmente servem como pontos de saque para operações de criptomoedas conectadas a crimes financeiros e outras fraudes.”

Polícia prende quadrilha

As informações analisadas pela Binance resultaram na identificação de uma quadrilha que atuava na internet. Além da lavagem de dinheiro com criptomoedas, o grupo criminoso planejava ataques utilizando ransomwares.

A quadrilha foi detida pela Polícia Cibernética da Ucrânia no início de 2020. A prisão aconteceu logo após a denúncia da Binance contra “corretoras à prova de balas”, que seriam plataforma utilizadas pelos criminosos para lavar dinheiro com Bitcoin.

“No início de 2020, a Binance alocou recursos adicionais para mergulhar a fundo nos métodos potenciais em que esses “corretoras à prova de balas” estavam lavando dinheiro por meio do mercado de criptomoedas.”

No total, a quadrilha conseguiu movimentar US$ 42 milhões, ou ainda quase R$ 230 milhões em conversão para o real brasileiro. A fraude atuou pela internet por dois anos, usando exchanges que recebiam as criptomoedas da quadrilha.

Leia Mais:

Fonte: cointelegraph.com.br/news/binance-helps-to-arrest-gang-that-moved-r-230-million-in-bitcoin-scheme

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here