Embora imensos para os nossos padres, os buracos negros supermassivos so muito pequenos em comparao com suas galxias hospedeiras – o equivalente a uma moeda de um centavo em relao ao tamanho da Lua inteira. Ainda assim, astrnomos acreditam que eles tm uma influncia imensa nas galxias que habitam.

Pesquisadores querem usar o Telescpio Espacial James Webb, da Nasa, para estudar o efeito que trs quasares exercem sobre suas galxias hospedeiras em um programa chamado Q3D, que analisar vrios comprimentos de onda diferentes de luz e montar um mapa tridimensional dos ventos csmicos gerados.

No centro de praticamente toda galxia h um buraco negro supermassivo (o nosso chama-se Sagitrio A*). Como tal, eles pesam milhes ou bilhes de vezes a massa do Sol e devoram o disco giratrio de gs superaquecido que os cerca. Quando o gs desse disco cai em direo ao buraco negro, ele libera uma quantidade enorme de energia, que cria um ncleo galctico brilhante e poderoso: o quasar, um dos objetos mais brilhantes e energticos do universo.

Ao sugar a matria de suas galxias vizinhas, os quasares aquecem os materiais ao seu redor, criando discos superaquecidos que emitem “ventos” por presso magntica e radiao. Esses ventos so to poderosos que reduzem a formao de estrelas em volta do ncleo galctico. Astrnomos acreditam que a energia dos quasares responsvel por limitar o crescimento de galxias massivas.

“Objetos fisicamente muito pequenos, buracos negros supermassivos parecem ter um enorme impacto na evoluo das galxias e, eventualmente, na forma como o nosso universo se parece hoje”, explica Dominika Wylezalek, pesquisadora da Universidade de Heidelberg, na Alemanha e lder da equipe do Q3D.

A hiptese do papel crtico dos quasares na limitao do crescimento das galxias j existe h cerca de duas dcadas, mas faltam evidncias observacionais. Os cientistas acreditam que os ventos de um quasar expelem o equivalente a centenas de massas solares de material a cada ano – varrendo do disco galctico material que de outra forma teria formado novas estrelas.

Mas observar o poder e o alcance dos quasares em suas galxias um desafio, que o telescpio Webb pode mudar. Alm de sua maior sensibilidade, resoluo e viso infravermelha, o telescpio que ser lanado em 2021 conta com espectroscopia de imagem tridimensional. Esta tcnica de observao permite que a equipe de pesquisadores obtenha medies detalhadas da luz para cada pixel no campo de viso.

Como o Telescpio Espacial James Webb usa sua unidade de campo integral para gerar aespectroscopia de imagem tridimensional. Vdeo:STScI

Unindo vrias imagens em comprimentos de onda ligeiramente diferentes, os cientistas conseguem mapear espacialmente os movimentos do gs dentro da galxia em trs dimenses. “A espectroscopia de imagem importante para ns porque os ventos nesses quasares distantes no so necessariamente simtricos”, explica o astrnomo Sylvain Veilleux, da Universidade de Maryland, College Park.

Se ficar comprovado que os fluxos dos quasares impedem que o gs de uma galxia forme novas estrelas e a faa crescer, os cientistas daro um enorme passo na compreenso de como as galxias evoluem desde o incio do universo at hoje.

Via: Nasa

Source link

Fonte: fogocruzadodf.com.br/tecnologia/2020/08/19/mapa-3d-pode-revelar-como-os-quasares-influenciam-as-galaxias

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here