Uma petição que acompanha o relatório mensal de atividades do pedido de recuperação judicial do Bitcoin Banco aponta que a plataforma possui apenas dez dias para repassar informações sobre o destino de criptomoedas que foram depositadas nas exchanges que fazem parte do grupo.

De acordo com a EXM Partners Assessoria Empresarial, o prazo “em caráter de urgência” diz respeito ao repasse de dados que o Bitcoin Banco não apresentou, além de informações sobre uma carteira digital com mais de 6.300 unidades de Bitcoin (BTC).

Dessa forma, o pedido de recuperação judicial do grupo poderá sofrer uma rejeição inicial pela administradora do processo. Sem as informações sobre o destino dos milhares de Bitcoins, a empresa que administra a recuperação do negócio não poderá aprovar um projeto de ressarcimento clientes que investiram em BTC através do Grupo Bitcoin Banco.

Bitcoin Banco

O pedido de recuperação do Bitcoin Banco foi deferido pela Justiça no dia 27 de novembro de 2019. No entanto, a administradora judicial não conseguiu apresentar relatórios financeiros para os meses de novembro de 2019 até junho de 2020.

Além de não apresentar dados sobre uma carteira digital com 6.300 unidades de Bitcoin, o grupo precisa de entregar informações consistentes para que os relatórios sobre o pedido de recuperação judicial sejam elaborados pela administradora judicial.

“Até o presente momento, as informações necessárias para a elaboração dos Relatórios Mensais não foram disponibilizadas pelas Recuperandas, restando, portanto, pendentes de envio àquelas desde os meses de novembro de 2019 até junho de 2020, fato o qual, limita consubstancialmente as análises contábeis, financeiras e operacionais por parte desta Administradora Judicial.”    

Paradeiro de 6.300 unidades de BTC

O relatório mensal sobre o pedido de recuperação judicial do Grupo Bitcoin Banco foi publicado nesta sexta-feira (21). Segundo o documento, a empresa precisa explicar sobre o paradeiro de 6.300 unidades de Bitcoin (BTC).

No total, o Bitcoin Banco possuía 7.100 BTCs, conforme aponta a administradora judicial. Sendo que, de 7.100 unidades, 800 BTC foram vendidos em oito transações de 100 unidades cada, o que resultou em R$ 46 milhões.

Este valor é cobrado pela EXM Partners Assessoria Empresarial no relatório mensal sobre o Bitcoin Banco. Sendo assim, o grupo possui dez dias para pagar os R$ 46 milhões ao processo de recuperação judicial.

“Após a constatação por esta Administradora Judicial que o numerário de 7.100 BTC apresentado pelo Grupo Bitcoin Banco em 15/05/2020 foi transferido para diversas outras carteiras, restou informado pelos executivos que esta fragmentação ocorreu para que os ativos fossem vendidos na ordem de 100 BTC cada vez.”

Porém, existem 6.300 unidades de Bitcoin, ou ainda, cerca de R$ 400 milhões, que estão em uma “carteira diferente da inicialmente apresentada”. Desse modo, a administradora judicial pretende saber onde estão os milhares de Bitcoins que podem ser usados para pagar os clientes.

“Um saldo superior a 6.300 BTC se encontrava em uma carteira diferente da inicialmente apresentada.”

O relatório mensal de atividades do pedido de recuperação do Bitcoin Banco apresenta também outras providências, como a regularização dos saques da plataforma Zater Technologies que também pertence ao grupo.

Confira o relatório na íntegra que trata sobre o pedido de recuperação judicial.

Leia Mais:

Fonte: cointelegraph.com.br/news/bitcoin-banco-needs-to-inform-where-is-r-400-million-in-btc

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here