Ao todo, em duas semanas de campanha, 31.775 vacinas foram aplicadas

 

JURANA LOPES

 

Este sábado (17) foi marcado pelo Dia D da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, causadora da paralisia infantil, que alcançou a imunização de 14.930 crianças em todo o Distrito Federal. Apenas neste sábado, a cobertura vacinal foi de 9,2% do público-alvo estimado em 160 mil crianças maiores de um ano e menores de cinco. A abertura nacional da campanha ocorreu no posto de vacinação, montado para o Dia D, na Administração Regional de Ceilândia com a presença do secretário nacional de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Correia, do secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto e do subsecretário de Vigilância à Saúde do DF, Divino Valero.

 

Vacina contra a poliomielite está disponível em 135 salas de vacina durante toda a campanha –  Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

 

Durante o Dia D foram abertas 95 salas de vacina em todo o DF com funcionamento das 8h às 17h. Até 30 de outubro, a meta da Secretaria de Saúde é vacinar 95% do público-alvo. São 135 salas abertas, durante a campanha, para vacinar o público-alvo. O secretário de Saúde, Osnei Okumoto, destaca que a vacina é de extrema importância para proteção das crianças e todos devem atualizar a caderneta. “O objetivo do Dia D é mobilizar a população e mostrar a importância de levar os filhos para vacinar e protegê-los de uma doença tão grave como a poliomielite”, afirma.

 

Ao todo, durante duas semanas da campanha, foram vacinadas 31.775 crianças contra a poliomielite que representa uma cobertura vacinal de 19,7%. O secretário orienta, ainda, que os pais procurem às salas de vacina e que não tenham medo de procurar as unidades. “Todas estão preparadas para receber as crianças com toda segurança respeitando o distanciamento social”.

 

 

A poliomielite é uma doença viral que pode afetar os nervos e levar à paralisia parcial ou total. Engana-se quem pensa que a doença atinge somente às crianças. A paralisia infantil também pode afetar adultos.

 

Proteção

 

O pequeno Guilherme, de 3 anos, foi levado até a Administração Regional de Ceilândia para tomar as duas gotinhas da vacina da poliomielite. A mãe dele, Albaniza Lopes, explica que não deixa atrasar as vacinas do filho.

 

Crianças maiores de um ano, até cinco incompletos recebem duas gotinhas da vacina contra a poliomielite – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

 

“Quero meu filho sempre saudável. Para isso, é preciso prevenir dando todas as vacinas em dia. Vacinar meu filho é um ato de amor e proteção, principalmente agora, com a pandemia. A prevenção é o melhor caminho sempre”, analisa.

 

Albaniza ficou satisfeita com a realização do Dia D, pois trabalha durante a semana e no sábado fica mais fácil para levar o filho para vacinar. Além disso, parabenizou a organização e medidas de segurança tomadas contra a Covid-19. “Toda a equipe está bem paramentada, a sala é arejada e os atendimentos estão sendo realizados com distância de uma criança para outra, isso é importante”.

 

Campanha de Multivacinação

 

Além da vacinação contra a poliomielite, as salas de vacina estarão abertas para atualização da caderneta de vacina. A campanha nacional de Multivacinação ocorre paralelamente à campanha contra a poliomielite (paralisia infantil). Adolescentes menores de 15 anos devem comparecer aos locais para receberem eventuais vacinas que estejam faltando em seus cartões.

 

Pais devem comparecer às salas de vacina e atualizar a caderneta de vacinação dos filhos – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

 

Até o momento, 68.513 crianças e adolescentes entre zero e 15 anos compareceram às salas de vacina e, deste total, 42.193 estavam com alguma dose pendente e completou o cartão de vacinação. Apenas no Dia D, compareceram 35.366 crianças e adolescentes e vacinaram 22.515.

 

No período de janeiro a abril de 2020, nenhuma das vacinas do calendário infantil atingiu as metas preconizadas pelo Ministério da Saúde.

 

“Nos últimos anos, as coberturas vacinais vêm diminuindo. Isso ocorre pela falsa sensação de que estamos seguros, de que a doença já foi erradicada e não há necessidade de tomar uma segunda dose da vacina. Há influência de fake news e, em 2020 especificamente, a pandemia também pode ter contribuído para isso”, explica Alberto Correia, secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde.

 

Quem estiver com atraso na caderneta vacinal deve procurar uma das salas de vacina distribuídas por todo o Distrito Federal. As unidades estão preparadas para receber a população com toda segurança que o momento atual exige, em função da pandemia.

 

Todas as informações sobre a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Multivacinação podem ser acessadas na página da Secretaria de Saúde na internet: http://saude.df.gov.br/vacinacao-poliomielite-2020/



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here