As atividades esportivas coletivas em áreas públicas estão liberadas pela prefeitura de Salvador desde a última segunda-feira (19). A medida vale para praias, quadras, campos e ginásios, clubes e outros estabelecimentos privados. Nas praias, a liberação vale só nos dias em que as praias também estão liberadas, o que exclui os fins de semana. 

A prefeitura informou que a reabertura foi permitida após estabilização no número de casos de covid-19 na capital. Mas, é preciso lembrar, a pandemia ainda está por aí e a luta por uma vacina está longe de terminar. O ideal é seguir medidas de segurança, como respeitar o distanciamento social, para evitar a contaminação pelo coronavírus durante as práticas esportivas.

Para o professor de Educação Física e residente multiprofissional em Saúde da Família, Victor Rocha, dentre os principais cuidados que devemos tomar estão: “distância de, no mínimo, um metro e meio a dois (recomendação da Organização Mundial de Saúde) de outros praticantes; utilização da máscara, que nesse caso, pode-se optar por aquelas mais apropriadas pra atividades físicas ou com tecidos mais leves; garrafa de água de uso pessoal e exclusivo, evitando compartilhamento com terceiros; e manter os hábitos de higiene, como o de lavar as mãos com sabão ou uso de álcool 70%, evitando ainda levar mãos ao rosto, quando não estiverem limpas”. Nos esportes coletivos de maior contato, como futebol ou basquete, em que a distância não pode ser mantida, a máscara ainda assim precisa ser usada.

Cuidados também são importantes para evitar lesões, depois de um bom tempo de sedentarismo ou de redução no nível de atividades durante a quarentena. O professor orienta: “Para aqueles que estiveram muito tempo sem realizar nenhuma atividade física o ideal é retornar com atividades de baixa intensidade ou de leve impacto. Mesmo aqueles que já praticavam atividades físicas regularmente antes do período de isolamento, devem tomar esses cuidados”.

Quanto à máscara, além de proteger sua saúde e respeitar os outros praticantes, é de uso obrigatório. Victor explica que ela deve ser utilizada de forma que cubra toda a região da boca e nariz, incluindo o queixo. E ressalta: “Ao término da prática e retorno para casa, a máscara deve ser lavada (com água e 1 colher de cloro) ou descartada, se for o caso”. Importante colocar a máscara corretamente para não prejudicar sua proteção ao reposicioná-la com as mãos. O ideal é movê-la apenas quando precisar ser retirada ou trocada por outra, ao ficar úmida, por exemplo.

Mesmo com a flexibilização, as atividades físicas podem ainda ser planejadas para horários com menor movimento. É preciso, sim, manter o corpo ativo, mas sempre com proteção, para si e para o próximo.

Fonte: BdF Bahia

Edição: Elen Carvalho



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here