A retirada de espécies invasoras não é um desmatamento, mas sim uma ação de manejo | Foto: Divulgação/Brasília Ambiental

Um plantio de cerca de 700 mudas será realizado, neste sábado (5), no Parque Ecológico Veredinha, em Brazlândia. Com apoio do Instituto Brasília Ambiental, agentes de parques, brigadistas e voluntários estarão juntos na missão de compensar as áreas do parque que sofreram supressão de espécies invasoras. A ação, que será o maior plantio de mudas do ano, também envolve o IX Plantio das Águas, projeto que está sendo realizado nos parques do DF em homenagem às vítimas da Covid-19 e contra o racismo.

A Unidade de Conservação já está sendo preparada para receber o novo plantio e recompor as áreas que precisaram ser alteradas para manutenção do ecossistema. No caso do Parque Veredinha, a invasão de girassol mexicano e leucena estava prejudicando a vegetação local, visto que a presença de plantas invasoras, além de retirar completamente o espaço das plantas nativas, passa a modificar os ciclos naturais e ameaçar a biodiversidade da região.

O agente de parques do Instituto, Marcos João da Cunha, explica que nem sempre a supressão de árvores é algo negativo e que a medida é fundamental para garantir o equilíbrio ambiental. “Queremos que todos entendam que a retirada de espécies invasoras não é um desmatamento, mas sim uma ação de manejo. A vegetação nativa foi praticamente extinta nas áreas onde as invasoras dominavam e, por esse motivo, precisamos intervir para ajudar a flora local”.

Plantio das Águas

Com o problema inicial solucionado, o próximo passo é plantar as novas mudas e compensar as alterações. Desta vez, as equipes do parque Veredinha terão apoio de voluntários dos projetos Pede Planta e Movimento Ecos do Cerrado em mais um evento do Plantio das Águas, iniciado ainda no mês passado em outros parques do DF. A ação, que já aconteceu no Parque Ecológico Areal e no Parque Ecológico Três Meninas, também será realizada no Parque de Uso Múltiplo do Setor O.

O projeto Plantio das Águas é uma iniciativa do Movimento Ecos do Cerrado, que conta com o apoio do Brasília Ambiental e promove o plantio em Unidades de Conservação do DF. O objetivo é plantar mais de cinco mil mudas de Ipês, Jatobás, Jacarandá, Orelha de onça, Sangra d`água, Buriti, Urucum, Jenipapo, Oiti e Cagaita, entre outras, nos próximos dois anos.

*Com informações do Brasília Ambiental



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here