A primeira dose de vacina contra Covid-19 foi aplicada apenas no domingo (17), em São Paulo, mas rapidamente começou a chegar a todos os cantos do país, com distribuição concluída a todos os estados nesta terça-feira (19). Com isso, o país já alcançou a marca de 10 mil vacinados contra Covid-19.

A maioria dos vacinados contra Covid-19 se concentra no estado de São Paulo, o que é natural, considerando que é a região com mais doses e que começou a aplicação primeiro. O estado já concentra 8 mil pessoas vacinadas.

publicidade

Já no resto do Brasil, que começou a receber as vacinas depois, o destaque vai para a Bahia, que já tem 1.397 doses aplicadas. Os dois estados concentram a maioria esmagadora das pessoas vacinadas confirmadas até o momento, segundo o Painel Covid-19 no Brasil, que monitora estatísticas da doença com base nos dados divulgados pelas secretarias estaduais de saúde.

Também explica a grande concentração das aplicações da vacina na Bahia o fato de que a prefeitura de Salvador ter disponibilizado um “vacinômetro” em tempo real, o que ajuda as estatísticas de vacinados contra Covid-19 do estado a serem atualizadas mais rapidamente. O estado de SP também tem seu vacinômetro próprio.

Curiosamente, dentro dessas estatísticas estão algumas pessoas que não deveriam estar vacinadas. Em Pernambuco e Sergipe, já começaram os primeiros relatos de pessoas que furaram a fila para receber a CoronaVac, mesmo sem ser profissional da saúde ou pertencer a grupos de risco.

Como relata a Folha de S. Paulo, o prefeito de Itabi (SE), Júnior de Amynthas, foi o primeiro de sua cidade a ser vacinado. Já em Jupi (PE), a secretária municipal de Saúde foi uma das primeiras a “furar a fila”, que foi afastada do cargo pelo prefeito, e seguida até mesmo de um fotógrafo oficial, que também não pertence ao grupo de risco.

publicidade

Pelo Plano Nacional de Imunizações, a prioridade neste momento seria vacinar os profissionais da saúde em primeiro lugar, seguido de idosos de 75 anos ou mais, ou então a partir dos 60 anos que estejam institucionalizados (em asilos). Também entram na primeira fase os indígenas, quilombolas e moradores de comunidades ribeirinhas. Só na segunda fase entrariam o restante das pessoas com mais de 60 anos, seguidos, na terceira etapa, pelos portadores de morbidades que possam agravar a Covid-19, como diabetes, hipertensão, doenças renais e obesidade mórbida, entre outros.

O caso de Itabi, no entanto, teve uma explicação. A prefeitura explica que um informe do Ministério da Saúde permite que estados e municípios ajustem a prioridade de distribuição de acordo com a realidade local, e o prefeito quis realizar “um ato de demonstração de segurança, legitimidade e eficácia da vacina”, segundo a publicação.





Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here