Adriana Machado, da Ascom ‚Äď SSP/DF

 

Ap√≥s o recebimento das vacinas contra Covid-19, que ocorreu na √ļltima segunda-feira (18), golpistas t√™m se aproveitado da situa√ß√£o para aplicar golpes por meio do aplicativo WhatsApp. Apesar do motivo ser novo, esse tipo de crime j√° vinha sendo cometido no Distrito Federal. O aumento nos registros de crimes dessa natureza durante a pandemia motivou a Pol√≠cia Civil do DF (PCDF) a lan√ßar uma cartilha para orientar a popula√ß√£o.

 

A Secretaria de Sa√ļde (SES) fez uma alerta para que o brasiliense se atentasse ao golpe. De acordo com a pasta, os suspeitos se passam por servidores de sa√ļde e ligam para v√≠timas oferecendo um falso agendamento para vacina√ß√£o contra a Covid-19. Em seguida, mandam um c√≥digo para o celular da poss√≠vel v√≠tima e pedem que ela informe um c√≥digo enviado ou clique em algum link.

 

‚ÄúCom a confirma√ß√£o, seja acessando um link ou confirmando o agendamento por meio de c√≥digo enviado, o criminoso acessa o WhatsApp da v√≠tima e envia mensagens aos contatos, pedindo que sejam feitos dep√≥sitos em contas, que geralmente n√£o s√£o do DF. Este √© um golpe antigo, mas que est√° sendo aplicado de forma diferente‚ÄĚ, explica o delegado da Coordena√ß√£o de Repress√£o aos Crimes Contra o Consumidor, a Propriedade Imaterial e a Fraudes (CORF), Wisllei Salom√£o.

 

O delegado faz orienta√ß√Ķes para evitar cair nesses golpes. ‚ÄúOs √≥rg√£os de sa√ļde n√£o fazem esse contato, como tem sido massivamente divulgado, tanto por √≥rg√£os locais como federais. Geralmente os golpistas tentam convencer a v√≠tima com uma conversa longa ou ainda dizendo que est√° em apuros. Se estiver realmente em d√ļvida sobre a veracidade do pedido, fa√ßa uma liga√ß√£o convencional para confirmar ser realmente trata-se de amigo ou parente‚ÄĚ. Ele completa dizendo que √© importante retirar o contato clonado de grupos de WhatsApp, para que o criminoso n√£o tenha acesso √† rotina da v√≠tima e amigos e parentes sejam avisados, por meio das redes sociais ou telefonemas.

 

Cartilha

A PCDF lan√ßou ano passado, por meio da CORF, uma cartilha para evitar que a popula√ß√£o seja v√≠tima de estelionatos virtuais e por meio do telefone. As orienta√ß√Ķes t√™m car√°ter preventivo e pode ser acessada neste link.

Além do WhatsApp, a cartilha orienta para outro golpe, em que um voucher/cupom de descontos em restaurante é enviado. Neste formato, o criminoso entra em contato com a vítima via direct, no Instagram, se passando por representante de um restaurante de sua preferência. Após breve conversa, um link é enviado com um suposto voucher/cupom de desconto à vítima. Após acessar o link, é possível coletar os dados no celular da vítima.

Outro golpe especificado na cartilha é o de investimentos. Neste, os criminosos usam pessoas jurídicas com aparente credibilidade para oferecer investimentos pessoais com ganhos e taxas de juros acima dos comumente praticados no mercado.

Por fim, o golpe do falso motoboy, em que a v√≠tima recebe liga√ß√£o telef√īnica supostamente da √°rea de seguran√ßa do banco e √© questionada sobre uma compra realizada com seu cart√£o de cr√©dito. Ao explicar que, para comodidade do cliente, um funcion√°rio da ag√™ncia, devidamente identificado com crach√°, ir√° comparecer √† resid√™ncia da v√≠tima para buscar o cart√£o de cr√©dito cancelado e tamb√©m uma declara√ß√£o de n√£o reconhecimento de compra. Na posse do cart√£o, o criminoso realiza saques.

 

Import√Ęncia da den√ļncia
Em qualquer situa√ß√£o, a PCDF refor√ßa a import√Ęncia do registro de ocorr√™ncia, seja presencialmente ou ainda pela Delegacia Eletr√īnica. ‚ÄúEm qualquer circunst√Ęncia, reiteramos a necessidade do registro policial, para que a pol√≠cia investigue e consiga prender at√© mesmo quadrilhas que cometem esses crimes‚ÄĚ, finaliza o delegado.

 

Edição: Camila Vidal

 



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here