A Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) lançou, nesta segunda-feira (25), uma nota de repúdio aos ataques sofridos nas últimas semanas pelo professor Pedro Hallal, ex-reitor da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) que se destacou nacionalmente por suas pesquisas sobre a pandemia de coronavírus e por suas críticas à inexpressiva atuação do governo federal no combate à covid-19.

Segundo a Abrasco, Hallal vem recebendo ataques de grupos e de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), promovendo um linchamento virtual e tentativas de destruir sua reputação. Hallal coordena a pesquisa Epicovid, referência no mapeamento da doença em todo o país.

De acordo com a associação, as agressões começaram a aparecer no momento de intervenção federal na consulta à comunidade acadêmica para reitoria da UFPel. O evento coincide o agravamento da crise de saúde no Amazonas e no país como um todo.

:: Bolsonaro nomeia para Reitoria da Ufpel nome não eleito por comunidade acadêmica ::

“Diante de tais agressões, a comunidade científica e acadêmica se mobiliza em solidariedade ao professor Pedro Hallal e está coletando assinaturas à nota de apoio”, afirma o site da entidade, que está mobilizando a comunidade científica para apoiar o pesquisador.

Além disso, a revista científica The Lancet publicou um artigo do pesquisador, onde ele resume os ataques que vem sofrendo, bem como suas contribuições à gestão federal durante a pandemia.

:: Pesquisador prevê estouro nas contaminações e mortes por covid-19 durante o verão ::

Confira abaixo a nota de apoio da Abrasco ao professor Pedro Hallal:

Nota de Apoio de Cientistas Brasileiros ao Prof. Pedro Rodrigues Curi Hallal

A comunidade científica brasileira vem assistindo nos últimos dias um processo deplorável e injustificável de ataques ao Prof. Pedro Hallal, da Universidade Federal de Pelotas. O Prof. Pedro Hallal é um dos inúmeros cientistas brasileiros que, mesmo diante das inúmeras dificuldades para se fazer ciência no Brasil, liderou o maior inquérito sobre a prevalência de infecção por covid-19 no país e, a partir da interpretação dos achados do referido estudo, vem prestando aos diversos veículos de comunicação os esclarecimentos acerca da evolução da pandemia em território brasileiro, sem eximir-se de apontar as inúmeras falhas na coordenação política do enfrentamento a esta importante crise sanitária.

A crítica é práxis científica e atitude necessária para o desenvolvimento e enfrentamento dos problemas de um país, pois é a partir da adequada interpretação dos achados científicos que se pode apontar os caminhos a serem seguidos e chamar atenção aos desvios que estão sendo cometidos. O Prof. Pedro Hallal, a exemplo de tantos outros especialistas, que atuam e recomendam com base no conhecimento científico, destacou a impropriedade da ação adotada por alguns políticos brasileiros que, ao longo dos últimos 10 meses, insistiram em desrespeitar as orientações mais básicas para o controle da pandemia de covid-19, como o uso de máscaras e o distanciamento social.

Esta Nota é uma Manifestação de Apoio ao Prof. Pedro, que siga sempre inabalável na sua missão de auxiliar o desenvolvimento social a partir da atividade científica. É, também, por outro Iado, uma expressão de repúdio da comunidade científica brasileira às ações difamatórias, caluniosas, desrespeitosas e injuriosas que vêm sendo desferidas por figuras dos mais altos escalões da República. Em um Estado democrático não se pode admitir que aspectos políticos e ideológicos sejam justificativa para coagir cientistas que alertam para ações impróprias ou para inações por parte de agentes públicos dos diferentes níveis de governo.


:: Clique aqui para receber notícias do Brasil de Fato RS no seu Whatsapp ::

SEJA UM AMIGO DO BRASIL DE FATO RS

Você já percebeu que o Brasil de Fato RS disponibiliza todas as notícias gratuitamente? Não cobramos nenhum tipo de assinatura de nossos leitores, pois compreendemos que a democratização dos meios de comunicação é fundamental para uma sociedade mais justa.

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

Fonte: BdF Rio Grande do Sul

Edição: Camila Maciel e Katia Marko



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here