“Poucos dias depois, tendo Jesus entrado novamente em Cafarnaum, o povo ouviu falar que ele estava em casa. Então muita gente se reuniu ali, de forma que não havia lugar nem junto à porta; e ele lhes pregava a palavra. Vieram alguns homens, trazendo-lhe um paralítico, carregado por quatro deles. Não podendo levá-lo até Jesus, por causa da multidão, removeram parte da cobertura do lugar onde Jesus estava e, através de uma abertura no teto, baixaram a maca em que estava deitado o paralítico. Vendo a que eles tinham, Jesus disse ao paralítico: ‘Filho, os seus pecados estão perdoados’.” (Marcos 2:1-5)

Amizade, fruto do Relacionamento

Vivemos momentos de profunda individualidade. São tempos nos quais o compromisso e os envolvimentos estão em extinção.

Casamentos se transformaram em eventos, em parcerias; filhos são terceirizados.

Amigos são confinados à rede de relacionamento virtual.

Nossas relações se tornaram, praticamente, autistas devido às redes sociais.

Comunicamo-nos com a máquina e por meio da máquina.

Contentamo-nos com a distância nas relações e, desta forma, elas se tornam superficiais e sem conteúdo.

A depressão se tornou um problema de saúde pública.

Segundo a OMS, em um futuro próximo, a depressão irá inutilizar mais do que as doenças cardiovasculares ou as doenças oncológicas.

Pessoas estão sós. Vivem sós e se sentem sós.

E nos acostumamos com a solidão, e achando que ela faz parte das nossas vidas pós-moderna.

Deus chama a Igreja, Deus chama você, Deus chama todos nós para nos relacionarmos.

Agora, preste atenção!

Tente relembrar os momentos mais marcantes que você já viveu. Na maioria deles, quem estava ao seu lado? Certamente, aqueles que você pode chamar de amigos. Escolhidos a dedo ou dados por Deus. Eles servem de combustível para enfrentarmos os desafios do dia a dia, dividindo experiências boas e ruins.

Se ter amigos é tudo de bom…Por que, então, muitas vezes vivemos sós?

Por que muitas vezes nos fechamos e evitamos intimidade?

Por que nos contentamos com a superficialidade?

Espero que até o final de nossa reflexão, possamos responder a algumas destas perguntas.

Marcos 2: 1-5

Diz o texto que Jesus estava na cidade de Cafarnaum, que o poder de curar estava sobre Ele e que o povo sabia disso. E entrando em uma casa para ministrar a palavra, tamanha multidão se reuniu lá, que não se podia mais entrar. Alguns homens levaram um amigo paralitico para ver Jesus.

Ao ver a dificuldade e a impossibilidade de entrar no local, estes homens não desistem, eles sobem no telhado, abrem um buraco e descem o homem até Jesus. O Senhor, ao ver a fé DELES, se dirige ao homem e diz: Filho, grande é a sua fé; tenha bom animo. Os seus pecados estão perdoados.

A primeira coisa que quero pontuar é a importância do texto.

Este texto é narrado em três dos evangelhos: Mt. 9:1-8; Mc 2: 1-5; Lc 5:17-26.

A razão pela qual os três autores citam este fato é que ele revela a autoridade e o poder de JESUS em perdoar os nossos pecados.

Tanto que os escribas e fariseus ficam indignados com Jesus e pensam: “Quem este homem pensa que é para perdoar pecados, somente Deus tem este poder”.

Não se esqueçam de que até o advento de Jesus, a única forma de se ter os pecados perdoados, era por meio do sacrifício de um animal.

O segundo ponto a destacar é a persistência e a ajuda destes homens que carregavam o paralitico.

Sem seus quatro amigos, este homem, certamente, continuaria sem a possibilidade de se locomover, utilizando as próprias pernas.

Sem seus quatros amigos, este homem continuaria sem qualidade de vida.

Sem seus amigos, este homem não saberia o que é andar, correr, não poderia experimentar algumas coisas que, para nós, são comuns e, até, sem muito valor.

Diz o texto que seus amigos não se intimidaram com a dificuldade. Eles não desistiram diante da impossibilidade de estarem na presença de Jesus.

Eles avançaram enfrentando as barreiras e procuraram uma forma de levar o amigo e suas impossibilidades na presença de Nosso Senhor.

Veja, havia uma multidão na porta, havia uma muralha de pessoas, um ajuntamento tão grande, que impossibilitava a passagem do moço.

Portanto, temos um sinal, aqui, de que, muitas vezes, sem o suporte e a amizade das pessoas, muitas dificuldades não poderão ser superadas.

Como Jesus vivia a relação philiel, a relação de amizade?

1) Visibilidade

Diz o texto que Jesus viu a fé deles.

E conforme você vai percorrendo os evangelhos, você percebe que, muitas vezes, antes de um grande milagre, você lê que o “Senhor viu” e que as pessoas se sentiram vistas por Ele.

A visibilidade no ministério de Jesus é um marco. E ELE nos encoraja a fazer o mesmo.

Amizade tem a ver, então, em eu perceber o outro.

TOMAR CONHECIMENTO DO PRÓXIMO E ME IMPORTAR COM ELE.

2) Compaixão

A palavra compaixão quer dizer sofrer junto.

Jesus olhava e sentia compaixão, isto movia seu coração.

Esta é a marca da piedade. Estar disposto a caminhar e sofrer juntos.

Não é fácil, é um desafio, mas isto, certamente, trará benefícios incalculáveis para cada um de nós.

3) Era amigo de muitos, mas tinha os mais chegados.

É normal ter aqueles com os quais temos uma relação mais próxima. Isto é bom e saudável.

É importante termos aqueles amigos, com os quais podemos contar e confiar.

Isto traz cura para muitas áreas das nossas vidas.

Alguns benefícios de se cultivar amizades sinceras:

a) “A amizade nos melhora como ser humano”.

Ao convivermos e partilharmos com outro nosso tempo, nossas histórias e experiências vamos nos adaptando e nos formando. Deixando algumas coisas que nos atrapalham na caminhada e incluindo outras que nos favorecem o crescimento.

Provérbios 27:7

Como o ferro afia o ferro, assim um amigo afia o outro. NVT: Bíblia Sagrada, Nova Versão Transformadora.

b) Fator protetivo para o desenvolvimento de doenças

Algumas pesquisas apontam que o nosso corpo fica mais resistentes a problemas de saúde. Pesquisas realizadas pela Universidade de Chicago, nos EUA, revelaram que pessoas solitárias tendem a ser mais indefesas, ter alterações no sono e sofrem mais com as dificuldades enfrentadas ao longo da vida. Outro estudo, publicado no Journal of the American Medical Association, mostrou uma relação significativa entre solidão e o risco maior de ter doença de Alzheimer.

c) Apoio de familiares e amigos é fundamental durante a gestação

O período é importante para a mulher se preparar emocional e fisicamente.

d) Apoio de amigos e familiares é primordial na hora de superar o luto

Insegurança e tristeza após uma perda podem levar à depressão.

e) Ter poucos amigos é tão prejudicial quanto fumo e obesidade

Expectativa de vida aumenta em 50% com o convívio social, afirmam alguns estudos.

f) Companhia de amigas ajuda mulheres a perder peso

Estímulo promove a perda de até 3,5 kg por mês

A Bíblia é um livro que fala de Relacionamento.

O Nosso Deus é um Deus que se relaciona.

A Bíblia enfatiza o relacionamento de Deus com o ser humano; do ser humano com Deus.

E o desejo de Deus é se relacionar com você.

E você quer se relacionar com ELE?

Faça este movimento em direção ao Senhor, pois Ele, de braços abertos na cruz, já fez o maior  movimento que alguém pudesse fazer em sua direção.

Deus abençoe sua vida!

Visite nosso: www.gaip-saude.com.br



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here