Realizadas em uma das piores fases da pandemia de coronavírus, as provas da edição 2020 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) tiveram abstenção recorde em todo o Brasil, tendo sido de 51,5% no primeiro dia, em 17 de janeiro; e de 55,3% no segundo dia de prova, no último domingo (24).

O Ceará contabilizou abstenções abaixo da média nacional, com 48% de ausências na primeira prova e 51% no segundo dia.

:: Enem 2020: Inep libera gabarito oficial do exame nesta quarta-feira (27) ::

Relatos

Estudante do último ano do ensino médio, Heloisa Tomé afirma que o Enem era a maior possibilidade de entrar numa instituição de ensino. “Eu tenho a necessidade de passar em uma boa faculdade pública por conta da situação financeira da minha família. Ou eu passava na faculdade esse ano, ou teria que trabalhar”, conta.

Com a pandemia, as aulas da maior parte do ano letivo tiveram se ser ofertadas de forma virtual. Foi o caso das aulas de Heloisa. Ela afirma que teve que estudar por conta própria a maior parte do tempo. “Esse ano, eu tive muita dificuldade com meus estudos, a escola pública não teve preparo para a educação à distância”, avalia.

:: Estudantes da rede pública contam por que faltaram ao Enem; abstenção foi de 51,5% ::

Turbulência emocional

Para Nayara Linhares, o ano de 2020 foi marcado por turbulência emocional e grandes desafios para os estudantes que se inscreveram no Enem. “Muitos estudantes não tiveram acesso à internet, muitas pessoas tiveram dificuldades financeiras, adoecimento e, infelizmente, perdas na família”, lamenta.

Sobre a realização da prova ainda durante a crise do coronavírus, Nayara Linhares considerou um grave erro do governo federal manter o Enem para a data realizada. “É um absurdo ter sido realizado o maior vestibular do país no meio dessa pandemia. Para mim, foi um total descaso com milhares de estudantes que enxergam uma oportunidade para entrar no ensino superior público”, considerou.

Nayara ainda relata que, em seu local de prova, houve diversos desrespeitos às normas sanitárias, aglomerações, salas sem ventilação e a falta da medição de temperatura no acesso aos locais de realização da prova.

:: Estudantes relatam como foi participar de um Enem durante a pandemia ::

Reaplicação das provas

Por conta dos problemas estruturais identificados em todo o Brasil, haverá reaplicação do Enem nos dias 23 e 24 de fevereiro. Os pedidos de reaplicação se encerram dia 29 de janeiro.

Poderá se inscrever quem perdeu o Enem por problemas de infraestrutura, como salas superlotadas, ou quem teve diagnóstico de covid-19 ou outras doenças infectocontagiosas nas vésperas do exame. O pedido deverá ser feito pela Página do Participante.

Fonte: BdF Ceará

Edição: Monyse Ravena e Camila Maciel



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here