laboratório israelense Aleph Farms apresentou o primeiro bife de lombo de carne cultivada impresso em 3D. O material usado foi uma cultura de tecido animal vivo, o que pode representar um salto à frente para o mercado de carne cultivada. Entretanto, ainda necessita de aprovação dos órgãos regulatórios para chegar ao mercado

A nova tecnologia de bioimpressão é realizada pela Aleph Farms, e tem como principal diferencial para seus concorrentes o fato de usar células de animais vivas, enquanto os demais produtos são à base de plantas, o que permite a impressão de cortes chamados premium de músculos inteiros, como o bife de lombo, ampliando o mercado das chamadas carnes alternativas. 

publicidade

O processo de fabricação da carne cultivada em laboratório consiste em imprimir células vivas biópsias de punção de animais vivos ou abatidos, que são incubadas em uma matriz vegetal para crescer, se diferenciar e interagir para obter a textura e as qualidades de um bife real. 

Além da Aleph, A Future Meat Technologies, também sediada em Israel, e as holandesas Meatable e Mosa Meat também pretendem colocar carnes alternativas impressas no mercado. A BlueNalu de San Diego, trabalha em uma tecnologia para produzir frutos do mar baseados em células e pretende que seus produtos estejam nas prateleiras no segundo semestre de 2021. 

Falta de regulação pode atrapalhar chegada da carne cultivada ao mercado

Apesar dos avanços rápidos nas tecnologias de impressão de carne cultivada impressa em 3D, a falta de regulação governamental pode ser um sério empecilho para que estes produtos cheguem às prateleiras dos supermercados pelo mundo. Até o momento, apenas Cingapura concedeu aprovação regulatória para a venda de carnes cultivadas. 

Com algumas das principais empresas do segmento de carnes alternativas sediadas no país, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, foi o primeiro chefe de estado do mundo a comer carne cultivada, em novembro do ano passado. Porém, ainda não há uma previsão para que o produto seja regulamentado no país. 

publicidade

Maior agência regulatória do mundo, a Food and Drug Administration (FDA), que é uma espécie de Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) dos Estados Unidos, está analisando estudos de carnes cultivadas, entretanto, ainda não há uma data para divulgação de uma decisão sobre o assunto. 

Via: The Washington Post 

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!





Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here