O Gás de cozinha recebeu, na última terça-feira (9), novo reajuste — de 5,1%, na refinaria — ficando mais caro para o consumidor final a partir desta quinta-feira (11). O novo reajuste é o segundo do ano: o último, de 6%, aconteceu na primeira semana de janeiro.

Leia mais: Dieese: autonomia do BC dificultará “retomada” da economia em futuros governos

A justificativa é a instabilidade do mercado internacional de petróleo. Por causa desse cenário de variação, 12 aumentos já ocorreram desde maio de 2020 – alguns, com intervalo inferior a trinta dias. Os aumentos somados  até agora já representam um acréscimo de mais de 50% no preço final repassado ao consumidor.

O percentual aplicado é de 5,1% e o botijão GLP de 13 kg ficará 5 reais mais caro. Sendo assim, o consumidor que estava comprando à vista por 85 reais, a partir dessa quinta-feira vai pagar 90 ou 95 reais.

Opinião: O preço da comida está “na boca do povo”

“Tá chegando um absurdo, como é que um pobre vai sobreviver? Isso é um absurdo; aqui em casa são cinco botijões de gás. Vamos arrumar dinheiro só para pagar bujão de gás? ”, comenta Adeilda da Silva, conhecida como Tia Boneca, da comunidade Thiago Neri. Ela faz trabalho solidário com as crianças da comunidade.

Marcos Antônio Bezerra, presidente do Sindicato dos Revendedores de Gás GLP da Paraíba – Sinregás-PB demonstra preocupação: “Estamos apreensivos com a possibilidade de um novo aumento a cada mês. Esta é uma situação bastante desconfortável para os consumidores e para os comerciantes”.

Fonte: BdF Paraíba

Edição: Maria Franco



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here