Com 713 mortes por covid-19 registradas nas últimas 24 horas, o Brasil igualou neste domingo (14) a pior média móvel de óbitos pelo novo coronavírus desde o início da pandemia: 1.102, segundo dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

A média móvel se baseia nos números divulgados nos últimos sete dias.

Ao todo, são 239.245 mortos por covid-19 no país e 9,8 milhões de casos. Nas últimas 24 horas, foram contabilizados 24,7 mil novos infectados.

Esta é a segunda vez que o país registra uma média móvel superior a 1,1 mil mortes. A primeira vez foi em 25 de julho de 2020, quando a média móvel também foi de 1.102.

Leia também: Uso de Ivermectina contra covid está comprometendo fígado de pacientes, dizem médicos

São Paulo é o estado que registrou maior número de óbitos até o momento, 56.266, seguido por Rio de Janeiro, com 31.487, e Minas Gerais, com 16.879.

No ranking mundial de óbitos, de acordo com a Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos, o Brasil está em segundo, seguido por México, com 173,7 mil, e Índia, com 155,6 mil. Os EUA estão no topo do ranking, com 485 mil mortes contabilizadas.

O que é o novo coronavírus?

É uma vasta família de vírus que provocam enfermidades em humanos e também em animais.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) indica que tais vírus podem ocasionar, em humanos, infecções respiratórias como resfriados, entre eles a chamada “síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS)”.

Também pode provocar afetações mais graves, como é o caso da Síndrome Respiratória Aguda Severa (SRAS).

A covid-19, descoberta pela ciência mais recentemente, entre o final de 2019 e o início de 2020, é provocada pelo que se convencionou chamar de novo coronavírus. 

Como ajudar quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo.

A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.

Edição: Douglas Matos



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here