Quem acha que o carnaval de Belo Horizonte surgiu há poucos anos, está enganado. Nos última década, o carnaval de rua da capital foi crescendo a cada ano, até que em 2020 teve mais de 4, 5 milhões de foliões que passaram pela cidade na data.

Porém, o carnaval belo-horizontino não nasceu agora. Na década de 1980, BH já era destaque no carnaval de passarela, ficando atrás somente de Rio de Janeiro.

:: Alegria, liberdade e subversão: histórias e transformações do carnaval no Brasil :: 

E, pensando em reavivar esse histórico e criar um memorial, o ‘Almanaque do Samba – A Casa do Samba de Minas Gerais’ começou a reproduzir,desde a segunda-feira (8), sambas-enredo de escolas de samba e blocos caricatos de Belo Horizonte começando pelos anos 80.

Serão adicionados ao canal do Youtube faixas de LPs transformadas para o formato digital. O acervo é do sambista e radialista Carlinhos Visual. A publicação vai até este sábado (14).

Começando por 1983

O Almanaque do Samba começou seu acervo público com o carnaval de 1983, em que a escola de samba Cidade Jardim foi a grande campeã. Além da publicação do disco completo, com todos os sambas-enredo do ano, no Youtube, o site faz algumas importantes considerações.

“O samba-enredo [da Cidade Jardim] ‘A grande festança das gerais’ foi assinado por Serginho do Cavaco e Toninho Ribeiro, hoje os consagrados Serginho Beagá e Toninho Gerais. Outra curiosidade é Marlene Silva interpretando o samba do bloco caricato Os Invasores, mais um exemplo do pioneirismo feminino no samba de Belo Horizonte”, escreve o Almanaque.

:: Carnaval em casa: lives para aproveitar a festa com segurança :: 

Paralelamente, em seu perfil no Instagram, o Almanaque faz também a série de lives “Histórias do Carnaval”, com personalidades do carnaval de BH. Participam: Toninho Geraes (compositor), Douglas Felipe (ex-Olodum), Manu Dias (Lindo Bloco e Bloco Pescoção), Serginho Beagá (compositor) e Geo Cardoso (Baianas Ozadas). Os bate-papos vão até 14 de fevereiro.

Assista

Está tudo disponível no Canal do Youtube do Almanaque do Samba

 

Fonte: BdF Minas Gerais

Edição: Rafaella Dotta e Douglas Matos





Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here