Este é um questionamento que muitos corintianos têm feito. Com a derrota para o Santos na noite de ontem (17), as chances de acesso para o G-8 do Brasileirão se dificultaram ainda mais e o objetivo do clube participar do principal torneio das América Latina (Libertadores) fica quase inalcançável.

Dada as perspectivas desta reta final do Campeonato Brasileiro, de fato, uma classificação no grupo de acesso à Libertadores é bastante improvável. O time dependerá das vitórias contra Vasco e Internacional, como também, precisa torcer por duas combinações: que o Santos não vença nenhum jogo até o final do campeonato e o Athletico-PR não faça 100% dos pontos.

E agora, quais serão as possibilidades para o Timão?

Um possível caminho para o Corinthians é a sua participação na Copa Sul-Americana. Esta competição pode render bons frutos, principalmente no quesito financeiro. Isso porque o vencedor irá receber até 6,8 milhões de dólares (cerca de 36 milhões de reais).

A Sul-Americana é a segunda competição mais importante do continente, logo o clube poderá figurar em um torneio internacional, o que é de extrema importância para o lucro dos patrocinadores.

No entanto, para brigar por uma taça internacional é necessário um elenco sólido, organizado e ágil. Três características que, até o momento, estão ausentes na equipe alvinegra. Por isso, uma reformulação do grupo aliada ao reforço de novas peças nunca foi algo tão urgente.

Como aliviar as dívidas do Alvinegro com um orçamento tão limitado?

Tanto a imprensa quanto a torcida sugerem uma proposta que há tempos deveria ter sido implementada pela Diretoria do Corinthians: a utilização dos meninos do Sub-20. Gabriel Pereira, Matheus Davó, Cauê e Vitinho são jogadores de ataque eficientes e que já mostraram serviço quando foram escalados pelo time principal.

O atacante Gabriel Pereira tem apenas 19 anos e já está sendo requisitado pela torcida para que Mancini o dê mais oportunidades (Foto: Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians)

Os meninos da base” são mais ágeis que muitos reservas e titulares e carregam enorme potencial de evolução tática e técnica. Ainda dá tempo de lapidá-los tecnicamente, contudo caberá a Vagner Mancini ter uma visão mais inclusiva e que dê mais espaço a eles. O entrosamento do grupo principal com base é primordial.

Em suma, toda reestruturação de elenco vem também através da compra e venda de atletas e esta também é uma possibilidade. Todavia, há clausulas contratuais e multas rescisórias impedindo algumas transações. Em razão disso, aos dirigentes terão que negociar com os empresários e conquistar, aos poucos, vendas e empréstimos que aliviem os cofres do Timão.

Calma! Há luz no fim deste túnel!

Os torcedores não podem se desesperar em relação à temporada de 2021. O Corinthians participará do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil, disputas estas que podem consagrar os corintianos campeões de, pelo menos, um destes títulos.

Considerando o histórico alvinegro em “competições mata-mata”, sobretudo se tratando de Paulistão, não resta dúvidas que o time irá lutar com unhas e dentes para a competição. A verdade é que o momento exige cautela, profissionalismo, cobrança e apoio por parte dos dirigentes e torcedores.

Mesmo em um momento de crise como este, é válido frisar que Vagner Mancini tem feito um bom trabalho diante das dificuldades que o Corinthians enfrentava e continua enfrentando. De quase rebaixado a pretendente à vaga da Libertadores, o treinador elevou a confiança do time e mudou por completo a mentalidade de jogo instaurada há anos. Será um caminho trabalhoso, mas não impossível para o “Time do Povo”.











Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here