Recuperados de Covid-19 com anticorpos contra a doença têm menor probabilidade de ser reinfectados do que os que não têm as células de defesa. A descoberta é de um estudo do National Cancer Institute (NCI) dos EUA, publicado na quarta-feira (24) na revista Jama International Medicine.

Segundo Lynne Penberthy, diretora-associada do Programa de Pesquisa de Vigilância do NCI e autora principal do estudo, os dados sugerem que pacientes com resultado positivo em testes comerciais de anticorpos parecem ter imunidade substancial ao novo coronavírus. Isso significa que elas podem ter menor risco de uma nova infecção por Covid-19.

publicidade

Já um estudo de dezembro de 2020 da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) ressalta que a reinfecção pode fazer que a doença venha mais forte. Por isso, é sempre bom continuar a seguir as medidas de prevenção para evitar a contaminação.

Prevenção covid-19
Seguir as medidas de segurança e prevenção contra a Covid-19 é essencial para evitar a contaminação. Créditos: naipo.de/Unsplash

Resultados do estudo

Os pesquisadores do NCI analisaram, de janeiro a agosto de 2020, exames de 3,2 milhões de residentes dos EUA. Entre eles, 88,3% não tinham anticorpos contra a Covid-19, enquanto 11,6% apresentavam as células de defesa.

Nessa amostragem, cerca de 9,5% daqueles com resultado positivo para anticorpos e 11% dos que não os tinham fizeram um novo teste molecular do tipo RT-PCR. Essa técnica indica se há infecção ativa e oferece diagnósticos bastante precisos.

Em um período de 90 dias, somente 0,3% dos indivíduos com anticorpos foram reinfectados. Já entre os que não tinham esse elemento no sangue, 3% apresentaram a doença novamente.

publicidade

Pesquisadores em laboratório
Apesar dos resultados positivos, são necessários novos estudos para entender a proteção proporcionada pelos anticorpos contra a Covid-19. Créditos: Gorodenkoff/Shutterstock.com

Mais pesquisas

Lynne afirma que pesquisas adicionais são necessárias para entender por quanto tempo a proteção dura, quem tem defesa limitada e como as características do paciente podem afetá-la. Douglas Lowy, co-autor do estudo e diretor interino do NCI, alerta que é preciso aprofundamento para entender o impacto das mutações do novo coronavírus.

A maioria dos pacientes que se recuperou da doença adquiriu anticorpos, mas ainda não se sabe por quanto tempo essas células continuam ativas. Por isso, a vacinação contra a Covid-19 é essencial.

Vacina contra Covid-19 sem patente
As vacinas continuam sendo essenciais no combate à Covid-19. Créditos: siam.pukkato/Shutterstock

Um teste desenvolvido recentemente pela Fiocruz pode detectar variantes do novo coronavírus rapidamente. A produção dos kits ainda é limitada e, por enquanto, eles serão enviados para Rondônia, Roraima, Mato Grosso do Sul, Ceará e Rio de Janeiro.

Via Medical Express e CNN





Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here