O governador do estado da Bahia, Rui Costa (PT), anunciou isolamento rígido nos 417 municípios do estado a partir desta sexta-feira (26). O “lockdown”, restrição total de atividades não essenciais atinge 90% dos municípios do estado.

A medida, que restringe as atividades não essenciais durante o fim de semana, foi anunciada em coletiva à imprensa, na tarde desta quinta-feira (25), em conjunto com o prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM) e o presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Eures Ribeiro.

A decisão foi tomada em decorrência da situação de superlotação dos leitos no estado, visando barrar o avanço da covid-19. E valerá, inicialmente, entre a noite de sexta e a manhã de segunda-feira (1º).

De acordo com Rui Costa, só poderão funcionar os serviços essenciais ligados à alimentação e à saúde. Bem como transporte público, para que a população possa ter acesso aos serviços essenciais.

Bares e restaurantes estarão fechados. Será proibida a comercialização de bebidas alcoólicas a partir das 18 horas de sexta, mesmo em supermercados e lojas de conveniência. Estão proibidas, ainda, “atividades sociais de qualquer natureza, sejam elas religiosas, esportivas, políticas e culturais, também estão proibidas em toda a Bahia durante este período”.

:: Covid-19: comitê pede que RS adote gestão unificada e bandeira preta em todo o estado ::

A partir da sexta, haverá o fechamento de lojas de rua às 17h, bares e restaurantes às 18h e shopping às 20h para evitar aglomerações no transporte público. Bruno Reis ressaltou que a vacinação contra a covid, retomada nesta quinta-feira (25) em Salvador, seguirá funcionando e faz parte dos serviços essenciais.

Desde a última sexta-feira (19), teve início o toque de recolher no estado, entre as 22h e 5h, depois ampliado de 20h até as 5h, atingindo 343 municípios baianos.

Em Salvador, praias e parques foram fechados, o transporte público teve horário de funcionamento reduzido. Porém, tais medidas não foram suficientes para conter o aumento de infectados.

As Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), até mesmo nos hospitais particulares, não têm dado conta da demanda. As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) também enfrentam dificuldades para suprir o atendimento ao devido ao alto número de infectados. Segundo o governo do estado, apesar dos esforços, “a situação é crítica e as unidades de saúde públicas e privadas estão próximas do colapso”.

Rui Costa, em sua conta no twitter, apelou: “Faço meu apelo que baianos e baianas compreendam a importância das medidas e respeitem o decreto estadual”. E completou: “Nosso grande objetivo agora é garantir o distanciamento social nesta fase crítica da pandemia. Temos 195 pessoas, neste momento, aguardando vagas em leitos de UTI na regulação. Isto revela o drama que estamos vivendo neste momento”.

 

Fonte: BdF Bahia

Edição: Leandro Melito e Elen Carvalho





Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here