Com o objetivo de implementar melhorias nas redes e ramais de distribuição de água em todo o Distrito Federal, a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) está dando continuidade ao trabalho de substituição de ramais (instalação que liga a rede geral de água da rua com a rede interna do imóvel).

A ação começa no dia 1० de março e visa diminuir os vazamentos e, consequentemente, o índice de perdas de água da Companhia, promovendo uma melhor eficiência do sistema. O projeto integra as diretrizes do Plano Distrital de Saneamento Básico (PDSB).

Nesta segunda fase, com previsão de duração de 60 dias, serão substituídos 660 ramais, sendo 324 nas QRs 401 e 403 em Samambaia e 336 na QNP 15, em Ceilândia. As duas regiões foram escolhidas para esta etapa por apresentarem infraestrutura mais antiga, com maior necessidade de manutenção pelo elevado índice de vazamentos na tubulação.

Na primeira fase foram contempladas as regiões do Gama, do Jardim Botânico e de Ceilândia, onde foram substituídos 809 ramais. O projeto prevê a troca de 20.360 ramais prediais de água em todo o Distrito Federal, até fevereiro de 2022.

Segundo o superintendente de Operação e Manutenção de Redes Oeste-Sul da Caesb, Mauro Laerte, o objetivo da ação é garantir a satisfação dos usuários dos serviços, assim como melhorar o sistema de distribuição de água.

“O trabalho desenvolvido é uma ação preventiva e não gera nenhum custo aos clientes. Começamos a realizar este serviço em novembro do ano passado. E, neste momento, algumas regiões de Ceilândia e Samambaia serão beneficiadas”, esclarece Mauro Laerte.

Equipes da Caesb farão também levantamento de dados, inspeções e pesquisa de vazamentos. Os serviços externos incluem a recomposição do asfalto na rua e a companhia deve realizar o conserto de calçadas, muretas e paredes caso sejam feitos reparos internos nas residências.

Para a realização dos trabalhos, será necessário acessar a residência dos usuários, e, portanto, a colaboração dos moradores é fundamental. Todos os empregados da Caesb estarão uniformizados e portando crachá de identificação. Em caso de portão fechado, será deixado um aviso de comparecimento com as devidas instruções para o cliente.

Segundo Mauro Laerte, na primeira fase do projeto, a colaboração dos moradores das regiões contempladas foi essencial. “Quando os usuários são informados sobre o trabalho que será realizado e os seus benefícios, facilita a execução dos serviços. O projeto gera melhorias significativas nas redes de água e ramais de distribuição e, o mais importante, contribui no uso racional e consciente da água”, destaca o superintendente.

Mais informações poderão ser obtidas por meio da Central de Relacionamento com o Cliente – 115, escritório on-line no site www.caesb.df.gov.br, escritórios de atendimento ao público da Caesb ou postos de atendimento localizados no Na Hora.

PDSB

O Plano Distrital de Saneamento Básico (PDSB), elaborado pela Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa), em parceria com a Caesb e outras empresas do DF, tem como base a Lei Federal nº 11.445/2007, que estabelece as diretrizes nacionais para o saneamento básico.

Uma das premissas do PDSB é a de que os vazamentos em ramais prediais são os principais responsáveis pelas atuais perdas do sistema. Dessa forma, há a recomendação de uma gestão da infraestrutura, englobando a instalação e manutenção das tubulações, onde os ramais estão incluídos.

Eles devem ser padronizados e executados com material de mais qualidade. Em cenários desejáveis de redução do índice de perdas da Caesb, 2% dos ramais prediais devem ser substituídos por ano em locais onde ocorre maior incidência de vazamentos.

Conheça o Plano Distrital de Saneamento Básico PDSB

*Com informações da Caesb



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here