Um juiz de paz e outras três pessoas foram pressas no condado de Medina, no Texas, Estados Unidos, por 150 acusações de fraudes eleitorais. Eles foram indiciados em 11 de fevereiro pelo Tribunal do Júri do condado de Bandera, de acordo com a Fox.

Tomas Ramirez enfrenta uma acusação de fraude eleitoral organizada, uma acusação de assistência ao eleitor indevida na votação por correio e 17 acusações de posse ilegal de célula ou envelope de votação.

Os outros presos foram Leonor Rivas Garza, Eva Ann Martinez e Mary Balderrama. Cada um deles também enfrenta uma série de acusações.

Garza enfrenta uma acusação de fraude eleitoral organizada, duas acusações de voto ilegal, oito acusações de posse ilegal de uma cédula ou envelope de voto, duas acusações de fraude eleitoral e quatro acusações de uso fraudulento de um voto ausente por correio.

Por sua vez, Martinez enfrenta uma acusação de fraude eleitoral organizada, nove acusações de votação ilegal, 28 acusações de posse ilegal de cédula ou envelope de voto, três acusações de supostamente agir como um agente, cinco acusações de adulteração de registro do governo, 14 acusações de fraude eleitoral e quatro acusações de solicitação de voto fraudulenta pelo correio.

Já Balderrama, enfrenta uma acusação de fraude eleitoral organizada, nove acusações de voto ilegal, duas acusações de posse ilegal de cédula ou envelope de votação, uma contagem de pedido de voto pelo correio, duas acusações de assistência ilegal ao eleitor que vota pelo correio, duas acusações de adulteração com registro do governo, oito acusações de fraude eleitoral.

O Gabinete do Xerife do Condado de Bandera afirmou que todas as acusações resultaram de uma investigação do Procurador-Geral.



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here