Brasília na rota de distribuição do e-commerce

 


O decreto flexibiliza as alíquotas do ICMS e permite que empresas como Mercado Livre e Amazon recolham o imposto somente após a venda, e não imediatamente após o depósito no DF.

O governador Ibaneis Rocha assinou nesta sexta-feira (27) decreto que flexibiliza a incidência do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre produtos de comércio eletrônico armazenados e distribuídos no Distrito Federal. O projeto de lei deve ser publicado no Diário Oficial da União (DODF) na próxima segunda-feira (30).

A medida facilitará a instalação de empresas de logística em Brasília, que a partir de agora só serão tributadas quando as mercadorias forem vendidas, não quando as mercadorias chegarem a um centro de distribuição de outro estado para serem compradas. O decreto atende não só as grandes empresas, mas também os pequenos e médios empresários do setor, possibilitando que expandam seus negócios com mais segurança.

“A comodidade das pessoas exige que o agente econômico seja muito rápido na relação com o consumidor, com entregas mais rápidas, eficazes e, consequentemente, com cada vez mais vendas. E caso se venda mais, a economia aquece e mais empregos são demandados”, avalia o secretário de Governo, José Humberto Pires.

O objetivo do Governo do Distrito Federal (GDF) é incentivar a instalação de pequenas, médias e grandes empresas de logística na cidade responsáveis ​​pela entrega mais rápida e econômica dos produtos vendidos pela internet, principalmente na região Centro-Oeste.

A medida facilitará a instalação de empresas de logística em Brasília, que a partir de agora não serão tributadas até a comercialização.


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem